Setores decisivos na vitória de Obama podem apoiar republicanos

De acordo com pesquisa New York Times/ CBS News, eleitores estão decepcionados e querem ver mudanças no país

The New York Times |

The New York Times
Obama conversa com funcionários de fábrica em Maryland, durante campanha para eleições legislativas (29/10/2010)
Críticos da coalizão que levou o presidente Barack Obama à Casa Branca em 2008 e deu aos democratas o controle do Congresso em 2006 se tornaram leais aos republicanos na fase final dessas eleições parlamentares, de acordo com a última pesquisa New York Times/ CBS News.

Os republicanos tomaram para si a vantagem dos Democratas em eleições recentes, principalmente entre mulheres, católicos, americanos menos ricos e independentes. Todos esses grupos apostaram em Obama em 2008 e nos congressistas democratas quando eles tomaram ambas as câmaras dos republicanos há quatro anos, de acordo com as pesquisas.

Se as mulheres escolherem republicanos em vez de democratas nas eleições do Congresso terça-feira, será a primeira vez que fazem isso desde as primeiras pesquisas de opinião, em 1982.

A pesquisa fornece um vislumbre de uma nação tão politicamente inquieta e decepcionada com sua trajetória atual que 57% dos eleitores entrevistados disseram estar mais dispostos a apostar em candidatos com pouca experiência política este ano.

Mais de um quarto dos eleitores está disposto a apoiar um candidato que tem alguns pontos de vista que "parecem extremos".

Déficit

Em relação ao principal tema da campanha, a economia, os republicanos acabaram com a tradicional vantagem dos democratas como o partido visto como mais capaz de criar empregos – os partidos se equilibraram nesse quesito. Por uma larga margem, os republicanos continuam a ser vistos como o partido mais capaz de reduzir o déficit orçamentário federal.

O público quer que ambos os lados cedam, embora acredite que Obama tentará fazer isso mais do que os republicanos. No entanto, apesar de seu descontentamento generalizado, o eleitorado parece não estar oferecendo uma orientação clara a Obama e ao novo Congresso sobre as questões importantes para o país.

Ainda que quase 9 em cada 10 entrevistados tenham dito considerar os gastos do governo uma questão importante e mais da metade ser a favor de um governo menor que ofereça menos serviços, não há consenso sobre quais programas devem ser cortados. Há uma oposição clara a se enfrentar um dos mais longos desafios do governo – os crescentes custos da Previdência Social – através do aumento da idade para aposentadoria ou da redução dos benefícios para futuros aposentados.

Embora os republicanos tenham conseguido manter os democratas na defensiva sobre o plano de saúde que consagraram este ano, a pesquisa também mostra que os americanos permanecem divididos sobre a promessa republicana de solicitar sua revogação. Quarenta e cinco por cento disseram que a lei deve ser mantida e 41% disseram que deve ser revogada.

*Por Jim Rutenberg e Megan Thee Brenan

    Leia tudo sobre: obamaeleições legislativasrepublicanosdemocrataseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG