Russos participam de debate sobre eleições

MOSCOU - Monitores ocidentais acreditam que as eleições na Bielorrússia e em muitas outras antigas repúblicas soviéticas estão longe de serem justas. Os monitores do Kremlin discordam, dizendo que o ocidente analisa essas eleições com mais afinco do que as que são realizadas em outras partes do mundo. Mas o que os próprios russos acham disso?

The New York Times |

Acordo Ortográfico

O The New York Times publicou uma versão traduzida de um artigo sobre o assunto em seu blog russo na segunda-feira. O texto atraiu comentários de leitores da Rússia e Bielorrússia, onde o russo é amplamente falado.

Selecionamos uma amostra dos comentários, traduzidos pela redação de Moscou do jornal:

"Se falarmos sobre a Bielorrússia, então a questão sobre as eleições e o presidente Lukashenko ser um democrata parece uma piada. Desde a eleição presidencial de 1994 o país não teve eleições ou referendos como expressão aberta da vontade de seus cidadãos, sem mencionar uma contagem honesta dos votos. O aparato de repressão funciona para impedir a participação ativa da população, suprimindo protestos, agredindo e aprisionando os indivíduos mais ameaçadores". - MANCHESSTER 

"O dito livre ocidente tem desacreditado os ideais democráticos que defende. A democracia é usada pelo ocidente para defender cruzadas colonizadoras, assim como a Europa usou o papel missionário da igreja como pretexto para colonizar o Oriente Médio e a América Latina e, depois, o império britânico usou a disseminação da civilização para conseguir colônias na Índia e em todo o mundo. Apenas uma coisa mudou - ao invés de cristianismo e civilização, o pretexto agora é a disseminação da democracia, com um único objetivo - colonização, apreensão de pontos estratégicos no planeta e acesso a recursos naturais". - SAINTRIO

"Na Rússia, eles conseguiram inventar um substituto ideológico para a democracia ocidental - a 'democracia soberana', que ainda parece estranha, mas pode ajudar os políticos a se sentirem pelo menos mais fortes em um debate sobre os padrões democráticos. Então, chegou a hora de dizer não, os monitores não foram influenciados - apenas porque podiam estar simplesmente defendendo suas próprias carreiras políticas e a vida que construíram tão cuidadosamente e valorizaram por anos. Claro, eles não dirão nada sobre os que foram presos antes e durante as eleições na Bielorrússia, muito menos sobre as pessoas que desapareceram em 2000". - USHCHENT

"É possível considerar as eleições na antiga União Soviética livres e justas? Não menos do livres ou justas do que em qualquer outro lugar. Quando as pessoas estão satisfeitas com o tipo de eleição que têm - então este tipo de eleição é suficiente para essas pessoas. Para mim, por exemplo, o Colégio Eleitoral americano é muito estranho, para dizer o mínimo, em termos de democracia. Mas não incomoda os americanos." - 3RD(USCORE)INCARNATION

"Meus amigos que vão frequentemente à Bielorrússia percebem o seguinte: o lugar não é apenas limpo, é seguro - as crianças podem andar à noite, não há corrupção na polícia do trânsito como na Rússia e na Ucrânia. O apoio a Lukashenko é enorme, apesar de propagandas mostrarem infindáveis brigas no Parlamento ucraniano". - VINEGRET08

"Apenas um escritor de ficção científica ou um hipócrita pode chamar as eleições na Bielorrússia de democráticas. Eu também posso acreditar que pessoas que passaram por uma lavagem cerebral e têm pouca informação sobre a situação aceitem isso. Além disso, considero os comentários sobre limpeza e ordem na Bielorússia como uma blasfêmia. Com o mesmo critério, a Alemanha de Hitler poderia ser um regime democrático. Afinal de contas, dizem que havia limpeza e ordem por lá também". - LJOKSA

Por CLIFFORD J. LEVY

Leia mais sobre Rússia

    Leia tudo sobre: rússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG