Republicanos focam na economia para conquistar hispânicos nos EUA

Com voto hispânico se transformando em fator decisivo em Estados cruciais, pré-candidatos tentam atrair eleitores tradicionalmente democratas

The New York Times |

Durante muitos anos e inúmeros ciclos eleitorais, os republicanos falaram sobre o crescente eleitorado hispânico nos Estados Unidos como se fossem meninos incertos em tirar meninas para dançar em um baile do colégio. Eles não conseguiam se conectar, apesar de acreditarem que compartilhavam muitas coisas em comum, especialmente com os hispânicos conservadores e religiosos, que um dia iriam perceber como os republicanos poderiam ser encantadores.

Saiba mais: Quem são os principais pré-candidatos republicanos?

Agora, com o voto hispânico ameaçando tornar-se um fator decisivo em vários Estados cruciais, os líderes republicanos acreditam ter encontrado uma nova abordagem: um apelo aos hispânicos cada vez angustiados sobre a lenta recuperação da economia – e a tentativa de feroz de atrair pessoas como Arnold Gallegos.

NYT
Arnold Gallegos, que sempre votou nos democratas mas agora tem dúvidas, é alvo da persuasão republicana
Gallegos nasceu e cresceu em Pueblo, Colorado, e tem sido um democrata comprometido toda a sua vida. Mas como proprietário de uma pequena empresa em época de crise, sua opinião política está oscilando.

"Eu não sei o que pensar", disse Gallegos, 66 anos, sentado no minúsculo escritório de sua empresa, um serviço de transporte em van que emprega seis trabalhadores em período parcial.

George W. Bush ganhou a reeleição em 2004 com 44% do voto hispânico, sensivelmente mais do que os candidatos republicanos antes dele.

Em 2008, o presidente americano, Barack Obama , venceu com a ajuda de 67% dos votos hispânicos, que em 2010 também ajudou a salvar a cadeira do líder da maioria democrata do Senado Harry Reid, em Nevada, contra um adversário do movimento Tea Party.

Peso

Este ano, o voto hispânico deve ser ainda mais importante, principalmente porque as populações hispânicas aumentaram acentuadamente em vários Estados indecisos, onde gerações de cálculo político estão sendo transformadas por esse grupo demográfico em crescimento, que geralmente é alinhado com os democratas.

Especial iG: Veja proporção de latinos nos Estados dos EUA

A grande questão é quanto desse alinhamento com os democratas vai permanecer neste momento e, para os republicanos, se a dura retórica anti-imigração que muitas vezes permeou as primárias presidenciais deste ano será um problema para o partido na comunidade hispânica.

O apoio a Obama foi menor do que aquele recebido por alguns candidatos presidenciais democratas anteriores. Bill Clinton, em 1996, e Michael S. Dukakis, em 1988, tiveram números um pouco mais fortes.

Disputa: Documentário sobre Obama é a nova arma da campanha do presidente

"Se for apenas 60%, então Estados como Colorado, Nevada e Novo México estarão em jogo, se for 80%, ele provavelmente irá ganhar esses Estados", disse John J. Pitney Jr., um professor da Faculdade Claremont McKenna, na Califórnia. "Muito disso vai depender do estado da economia."

*Por Kirk Johnson

    Leia tudo sobre: eleição nos euaeuaobamaromneysantorumpaulgingrichrepublicanoshispânicos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG