Recessão causa abandono de robôs japoneses

KITAKYUSHU, Japão - Eles podem ser os trabalhadores mais eficientes do mundo, mas diante da crise econômica mundial também têm tido problemas em conseguir emprego.

The New York Times |

A legião de robôs do Japão, a maior frota de trabalhadores mecanizados do mundo, foi deixada de lado conforme o país sofre sua pior recessão em mais de uma geração e os consumidores de todo o mundo cortam gastos com eletrônicos e carros.

NYT
Garoto brinca com robô em loja de Kokura, no Japão

Garoto brinca com robô em loja de Kokura, no Japão

Em uma grande fábrica da Yaskawa Electric na ilha de Kyushu, onde robôs fabricam outros robôs, um único e solitário trabalhador robotizado de braços mecânicos gira de um lado para o outro, testando motores para o dia em que outros pedidos forem feitos.

Seus colegas enfileirados a seu lado estão imóveis, com os braços parados no meio do ar. Eles podem não ter trabalho por algum tempo. A produção industrial japonesa despencou 40% e, com ela, a demanda por robôs.

Ao mesmo tempo, o futuro parece menos brilhante. As finanças mais rígidas estão injetando uma dose de realidade em alguns dos projetos mais fantásticos do Japão (como robôs de estimação e recepcionistas ciborgues) e podem impedir a inovação por muito tempo depois da recuperação da economia.

"Nós fomos atingidos em cheio", disse Koji Toshima, presidente da Yaskawa, a maior fabricante de robôs do Japão.

Os lucros da companhia caíram cerca de dois terços, para 6.9 bilhões de ienes, ou cerca de US$ 72 milhões, no ano que terminou no dia 20 de março e prevê perda este ano também.

Em todo o setor, a fabricação de robôs industriais caiu 33% no último quadrimestre de 2008 e 59% no primeiro quadrimestre de  2009, de acordo com a Associação de Robôs do Japão.

Tetsuaki Ueda, analista da empresa de pesquisas Fuji Keizai, espera que o mercado encolha até 40% este ano. Os investimentos em robôs, segundo ele, "têm sido os primeiros a serem abandonados pelas empresas que tentam proteger seus trabalhadores humanos".

Ainda que os robôs sejam mais baratos do que trabalhadores de carne e osso a longo prazo, o investimento inicial é muito mais alto.

Em 2005, mais de 370 mil robôs trabalhavam em fábricas de todo o Japão, cerca de 40% da força de trabalho do país, representando um total de 32 robôs a cada mil funcionários humanos, de acordo com um relatório do Banco Macquarie.

Um plano de políticas de tecnologia de 2007 previa que 1 milhão de robôs industriais seriam instalados até 2025. Isso certamente não irá acontecer. "A recessão causou um retrocesso de muitos anos na indústria dos robôs", disse Ueda.

Leia mais sobre robôs

    Leia tudo sobre: japãorecessão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG