Fiel ao original , filme vai mostrar Sherlock Holmes aventureiro, forte e mulherengo - New York Times - iG" /

Fiel ao original , filme vai mostrar Sherlock Holmes aventureiro, forte e mulherengo

LONDRES ¿ Em um labirinto de quartos imundos e úmidos, localizados no final das ruas do bairro de East End, Sherlock Holmes estava resolvendo um caso. Ou seja, Robert Downey Jr - que fará o papel do célebre detetive no novo filme Sherlock Holmes - estava envolvido em um combate braçal com um vilão muito grande e muito malvado (Robert Maillet). Bam! Pam! Ai! Ambos os personagens acabariam jogados no chão, juntamente com o fiel assistente de Holmes, Dr. John Watson, vivido por Jude Law.

The New York Times |

Longe do figurino clássico, Robert Downey Jr. vai ficar até sem camisa / Divulgação

Filmada em dezembro, a cena apresentou um corretivo afiado à popular visão cinemática de Holmes, ao menos aquela propagada pelos velhos filmes estrelados pelo ator britânico Basil Rathbone. Aquele Holmes ocasionalmente manuseava armas, saltava de carruagens e corria em meio à neblina com um topete ao estilo Errol Flynn. Porém, ele não passava de uma mente brilhante dentro de um terno em tweed, um protagonista afável e assexuado - bem ao gosto da Hollywood dos anos 30 e 40. Seu assistente Watson, vivido por Nigel Bruce, era um rapaz frustrado e cordeal com um cérebro de passarinho - frente ao brilhantismo e à personalidade sensível do detetive.

O Sherlock Holmes do novo filme, com estreia marcada para 13 de novembro, não vai usar um boné de caçador. Tampouco um casaco de Inverness, aquele tipo com o capote elegante cobrindo os ombros e oferecendo uma proteção extra contra a chuva inglesa. Às vezes ¿ como em uma cena de luta ¿ ele não vai usar nem mesmo uma camiseta (isto dá a Downey a oportunidade de exibir seu admirável abdomen delineado).

Certamente ele será mais esperto que todo mundo num raio de três planetas, e continuará com sua estranha habilidade de intuir histórias de vida a partir de uma partícula de poeira em um sapato. Entretanto, ele fará tudo isso ao mesmo tempo em que demonstra ser um homem de ação - que persegue, atira e dá socos em crimonosos - Como James Bond em 1891, disse Joel Silver, um dos produtores do filme.

Lionel Wigram, que idealizou a trama e é também o produtor do filme, disse que reinventar Holmes como um herói de ação fez todo o sentido. Nunca concordei com a idéia do cavalheiro engomadinho e enfadonho, disse Wigram. Aquela não era minha ideia de Sherlock Holmes. 

Ritchie assume a direção

Quando Wigram concedeu essa entrevista, ele estava nas catacumbas de Londres, que já fizeram parte do sistema carcerário da cidade e servem de cenário ao filme. O diretor, Guy Ritchie ¿ ex-marido de Madonna ¿ estava em uma sala ao lado, observando os atores em uma luta coreografada.

Conhecido por seus filmes de ritmo rápido e estilo próprio, que se desenrolam entre criminosos e a escória do submundo londrino, Ritchie parecia um empreendimento arriscado como diretor de tal extravagância hollywoodiana. Seus primeiros filmes, incluindo "Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes" e "Snatch - Porcos e Diamantes", ainda são os mais famosos. Ele passou também por alguns escorregões desde então (vide "Destino Insólito", estrelado pela ex senhora Ritchie).

Robert Downey Jr e Jude Law caracterizados nas ruas de Londres / Divulgação

Seu filme mais recente, lançado no ano passado com o título de "RocknRolla ¿ A Grande Roubada", foi considerado pela crítica um retorno à boa forma, sendo muito bem recebido na Inglaterra. Entretanto, rendeu apenas US$5,7 milhões de bilheteria nos EUA ¿ segundo dados do  boxofficemojo.com, site americano que monitora a bilheteria cinematográfica.

Os produtores de Sherlock Holmes dizem que o estilo de Ritchie é perfeitamente adequado ao conceito deles. Achamos que ele tinha a capacidade e a habilidade de fazer um filme de grande porte e divertido, e a participação de Robert Downey Jr. realmente levou a produção ao topo, disse Silver.

Antes de Downey ser cogitado para o papel principal, Ritchie considerou fazer um filme sobre um Sherlock Holmes jovem, ao estilo de "Batman Begins", posicionando-o em algum lugar entre a idade adulta e o adolescente Holmes do filme de Barry Levinson - "O Enigma da Pirâmide" (1985).   

Porém, ele logo descartou a idéia, apostando na destreza de Downey como herói de ação, mostrada no filme "Homem de Ferro", e no toque singular que ele certamente daria ao personagem. O Holmes vivido por Downey é mais sombrio do que o de Rathbone ou outros que se aventuraram na epreitada, como Christopher Plummer em "Assassinato por Decreto" (1979) e Nicol Williamson em "Visões de Sherlock Holmes" (1976).

O novo Holmes é mais grosseiro, tem mais facetas emocionais, é mais inclinado a correr com suas roupas desgrenhadas, cobertas de manchas de sujeira e sangue. Este Holmes cai na depressão dos tempos modernos entre um caso e outro, jogando-se no sofá, descabelado e com a barba por fazer, sucumbido pela falta de objetivos diante das transformações do mundo e rodeado por uma pilha de entulhos. Ele guarda suas contas presas na parede com uma faca Bowie.

Porém, quando se dedica a um caso, Holmes tem um corpo ágil ¿ é um implacável boxeador, um atirador de precisão e um espadachim afiado ¿ e também uma mente.

Personagens e atores compartilham algumas características. Como Holmes e seu hábito de usar cocaína, Downey foi golpeado por diversas vicissitudes internas, incluindo um longo período de dependência às drogas (Ao contrário de Holmes, ele já esteve preso e internado em centros de reabilitação, trocando tudo isso por um regime de terapias, nutrição e exercícios físicos. Ele também se tornou perito em wing chun, arte marcial chinesa de ritmo rápido).

Os novos parceiros

Como Holmes, Downey, aos 43 anos, tem uma mente tão ativa que ela parece estar à frente dele mesmo. Ele precisa de estímulo constante, em parte para seu próprio sustento e em parte, como é de se suspeitar, para manter seus demônios acuados. Suas conversas saltam de um assunto para outro de maneira a sugerir que ele conduz seu trabalho com tanta intensidade, e propósito, como o próprio Holmes o faz.

Ele é o arquétipo de um perfeccionista torturado, disse Downey sobre seu personagem. Enquanto falava em seu trailer no intervalo das gravações, o ator comeu algo que parecia uma mistura de legumes japoneses servida em uma tigela especial e com aparência assustadoramente saudável. Ele disse, porém, que no caso dele, o que o move é muito mais a confiança do que a obsessão.

Isso quer dizer que não vou desistir. Minha experiência mostra que sei como vencer, que vou terminar na linha de chegada.

Rachel McAdams é, junto com Downey Jr e Law, protagonista da trama / Divulgação

Downey disse que ele e seus colegas de elenco, juntamente com o diretor e os produtores do filme, vêm estudando o script atentamente para aniquilar qualquer pista de clichês do tipo: elementar, meu caro Watson. Enquanto ele falava, Watson ¿ ou Jude Law ¿ estava no prédio ao lado lendo um livro sobre Hamlet (ele fará o papel principal da peça em uma produção de West End na próxima primavera).

Law afirmou estar se divertindo com a experiência de pôr por terra a sabedoria convencional sobre Watson: que o assistente de Holmes é gordo e lento. Ele é um homem que deixou o exército alguns anos atrás e lida com as situações com uma abordagem militar, disse ele. Ele é um pouco mais inflexível em suas opiniões moralistas que Holmes, mas certamente não é menos corajoso. E quando perguntado se Watson é praticamente tão brilhante quanto Holmes, ele respondeu: Certamente ele não é burro.

De volta às catacumbas, Susan Downey, esposa do ator e uma das produtoras do filme, disse que Holmes é meio brigão barulhento e meio mulherengo, completando: ele tem problemas com jogo. Se você é daqueles fãs de Sherlock Holmes que adora as estórias originais, aí sim você irá apreciá-lo.

Tecnologia para ser fiel

Os contos de Arthur Conan Doyle definem a cena para a relação clássica entre Holmes e Watson, o prazer da linguagem e das partidas de tênis racionais que se desenrolam entre eles, ao mesmo tempo em vão desvendando o mistério, descreveu Law. Mas, Conan Doyle parece ter criado seus detetives também como personagens de ação, fazendo alusão ao serviço militar de Watson, às partidas de boxd e aos combates com armas de fogo, e ao uso da arte marcial bartitsu por Holmes.

Tantas das idéias que Conan Doyle teve em seus livros aconteceram nos bastidores, disse Susan Downey. Nós temos a tecnologia, o orçamento e os meios para fazê-las acontecer.

Wigram disse que adora Sherlock Holmes desde garoto, quando seu pai lia as histórias de Conan Doyle para ele em voz alta. Nos últimos dez anos, venho pensando que deve haver uma maneira de reinventar Sherlock Holmes, disse ele. Executivo da Warner Brothers até 2006, Wigram deu segmento à idéia quando deixou o estúdio para se tornar produtor.

Percebi que as imagens que via em minha mente eram diferentes daquelas que já tinha visto nos filmes anteriores, disse o produtor. Ele imaginou, por exemplo, um personagem muito mais moderno, mais boêmio, que se veste mais como um artista ou um poeta. Um personagem de moral questionável, de aparência levemente perversa, como alguém saído de uma pintura de Toulouse-Lautrec ou um integrante dos Rolling Stones, talvez Brian Jones, na fase de roupas vitorianas.

Dupla vai traduzir "fielmente" universo de Conan Doyle, diz produtor / Divulgação

E Wigram concebeu a estória (Michael Johnson, Anthony Peckham e Ritchie são creditados como roteiristas) com uma esfera mais ampla do que em qualquer conto de Conan Doyle.

Embora seja um prazer ler e reler seus contos, eles costumam ser mistérios de assasinatos bastante pequenos e contidos, disse ele. E, para as grandes audiências de massa que temos hoje em dia, eu sabia que teríamos de criar algo mais grandioso e que também tivese um grande elemento de fantasia.

Não é só ele que está sonhando com Holmes atualmente. Uma comédia estrelada por Sacha Baron Cohen, no papel de Holmes, e Will Ferrell, como Watson, está a caminho. Além disso, a BBC está filmando uma produção de uma hora de duração sobre Holmes, passada na Londres atual.

O filme de Ritchie tem início com Holmes detendo um assassino e mestre das artes das trevas chamado Lord Blackwood (Mark Strong) ¿ personagem baseado, segundo Wigram, no notório ocultista vitoriano Aleister Crowley. Quando levado à forca, Lord Blackwood promete voltar da morte e continuar com suas maldades. Ele faz exatamente isso, e o restante do filme se desenrola com Holmes e Watson tentando derrotar sua trama. Rachel McAdams faz o papel da enigmática Irene Adler.

Wigram não quis revelar nada sobre o custo da produção, dizendo apenas que foi um típico filme de orçamento grande.

Ritchie pareceu bastante alegre e animado em relação a este fato. Se quero algo, acabo conseguindo, disse ele. Estou acostumado a ter de procurar uma chave de fenda na noite anterior e sair consertando coisas no set, então isso é muito bom.

Mas, será que o filme irá funcionar como um filme de Guy Ritchie, com todo aquele ritmo rápido e jeito moderno? Guy traz sua energia e habilidade em criar ação e vigor físico, ao mesmo tempo em que se mantém fiel à época, disse Law. A Londres vitoriana na qual Holmes e Watson trabalhavam era o esgoto do mundo. Eles lidavam com criminosos, vilões e maltrapilhos.

Outra questão, já que o filme é destinado ao público familiar ¿ ou como coloca Ritchie, intencionalmente produzido para que eu possa assisti-lo com minha família e amigos sem qualquer constrangimento.

Drogas? Não, disse Wigram se referindo a Holmes. Ele não usa cocaina em nosso filme.

Leia mais sobre: Sherlock Holmes

    Leia tudo sobre: conan doylesherlock holmes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG