Questões sociais podem influenciar votos de mulheres americanas

Eleição dominada por economia vê debate acirrar diante de temas culturais como aborto e métodos contraceptivos

The New York Times |

Rick Santorum se posiciona contra os exames pré-natais. O governador da Virgínia, assim como o Legislativo do Estado, se viu em meio a um forte debate sobre a obrigatoriedade de exames pré-natais para mulheres que buscam fazer um aborto. Sob pressão, o presidente americano, Barack Obama, reanalisou sua posição a respeito da cobertura obrigatória de métodos contraceptivos para empresas com afiliações religiosas.

Campanha: Debate religioso chega à eleição nos EUA: os mórmons são cristãos?

As questões sociais voltaram com ainda mais força e estão tomando conta dos debates na campanha presidencial, no Congresso e nas capitais estaduais.

NYT
Simpatizantes do pré-candidato republicano Rick Santorum, que se posiciona contra o exames pré-natais
Em uma eleição que até agora tem sido quase totalmente definida por questões econômicas, o retorno repentino das guerras culturais introduziu um novo elemento volátil ao jogo. A política poderá ser feita de inúmeras maneiras, mas talvez a maior questão seja qual será o efeito que ela terá sobre um grupo crucial de eleitoras moderadas e independentes.

Eleitorado: Valores familiares e fé pautam disputa republicana

Os democratas, incluindo Obama, sempre contaram com o voto feminino. Entre 1992 e 2008, os democratas sempre conquistaram a maioria dos votos das mulheres em cada eleição presidencial. Há quatro anos, Obama derrotou o senador John McCain com uma diferença de 56% a 43% dos votos das mulheres, de acordo com pesquisas. (Os republicanos tendem a ganhar votos das mulheres brancas e casadas, enquanto os democratas conquistam as mulheres não-brancas e solteiras.)

Ideologia

As questões sociais fornecem a ambos os partidos uma oportunidade de expor suas bases ideológicas, mas é um pouco menos claro como essas questões repercutem entre as mulheres moderadas e independentes. As mulheres católicas, cujos votos foram para Obama em 2008 e para os republicanos em 2010, hoje tendem a apoiar a posição do governo de Obama sobre a cobertura dos anticoncepcionais, de acordo com uma pesquisa feita pelo New York Times / CBS News.

Os democratas dizem que planejam usar o tema para ajudar a convencer as mulheres, especialmente as independentes, de que os republicanos estão tendendo cada vez mais para a extrema direita e que já não são uma alternativa aceitável para administrar o país.

"Quando os republicanos se concentram em lidar com esses tipos de problemas de uma maneira muito extremista, eles chamam mais atenção para os problemas que existem no seu próprio partido", disse Anna Greenberg, uma pesquisadora democrata.

Economia

Embora as questões sociais instiguem reações ideológicas dos dois partidos, elas não tendem a ser vistas como prioritárias entre o a maioria dos eleitores - especialmente em um momento em que a economia continua sendo de longe a sua principal preocupação.

"Se Rick Santorum não for o candidato eleito, toda a atenção a essas questões vai evaporar", disse Whit Ayres, um pesquisador republicano. "A probabilidade de que as questões sociais desempenhem um papel importante na eleição geral é bem pequena", apostou.

*Por Richard W. Stevenson

    Leia tudo sobre: eleição nos euaobamasantorumabortoeconomia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG