Quatro cidades competem para sediar Convenção Democrata de 2012

Partido do presidente americano, Barack Obama, deve escolher entre Cleveland, Minneapolis, Charlotte e Saint Louis

The New York Times |

Poucos democratas apoiaram em um primeiro momento o pacote fiscal do presidente Barack Obama na semana passada. Mas entre os primeiros desses estava Anthony Foxx, o prefeito de Charlotte.

Portanto, não é de se admirar que Charlotte esteja competindo com três outras finalistas – Cleveland, Minneapolis e Saint Louis – para sediar a Convenção Nacional Democrata em 2012. Na sequência, os prefeitos das outras três cidades também sinalizaram o seu apoio ao presidente.

Nesta fase, qualquer coisa pode inclinar a balança a favor de uma cidade, por isso as quatro cidades estão ansiosas para agradar.

The New York Times
Hóspede de hotel assiste Barack Obama a deixar comício em Charlotte, na Carolina do Norte (foto de 21/9/2008)
Os republicanos anunciaram meses atrás que irão realizar a sua convenção de 2012 em Tampa, Flórida, e os democratas querem anunciar a sua decisão até ao fim deste mês. Eles ainda podem, obviamente, mas Obama talvez não consiga se concentrar na escolha do palco do anúncio de certeira candidatura até o começo do próximo ano.

Apesar dos desafios de acolher dezenas de milhares de congressistas, as cidades que disputam pela posição de anfitriã esperam se beneficiar de uma injeção de milhões de dólares em suas economias e de uma explosão de publicidade gratuita.

Critérios

Autoridades do Partido Democrata dizem que seus principais critérios são logísticos. E geralmente, eles dizem, as cidades não chegam às finais a menos que cumpram certos requisitos básicos, como o fornecimento de quartos de hotel suficientes. Eles também consideram o tamanho do aeroporto e os sistemas de transporte locais. A habilidade para arrecadar cerca de US$ 40 milhões de fontes privadas antes da convenção, marcada para o início de setembro de 2012, é outra vantagem.

Seja qual for a cidade escolhida por Obama – no fim, a decisão é dele – não há garantias de que ele conquistará o Estado onde a convenção for realizada. Na verdade, muitas vezes acontece o contrário, o candidato democrata perde o Estado anfitrião, de acordo com um novo estudo da Universidade de Minnesota.

Desde a primeira Convenção Democrata, realizada em Baltimore, em 1832, descobriu o estudo, o candidato perdeu o Estado anfitrião 23 vezes e venceu 22 vezes.

Assim, tendo em conta que o “peso” nas urnas não é automático, aqui registra-se uma análise dos prós e contras das quatro finalistas.

Charlotte: uma surpresa no sul

Prós: De todos os Estados que Obama ganhou em 2008, a Carolina do Norte estava entre as maiores surpresas, rompendo com o domínio dos republicanos no sul. O lema de Charlotte para a convenção é "Reaching for Tomorrow" (Em Busca do Amanhã, em tradução livre).

Ter Obama para a convenção reconheceria a importância do Estado e poderia inspirar os alunos e os negros que votaram em peso para ele em 2008 a que sigam às urnas novamente. Seu centro compacto tornaria a convenção mais acessível aos pedestres. Outros locais de entretenimento incluem o Charlotte Motor Speedway e o Salão da Fama da NASCAR, e o Centro Nacional de Whitewater, com o seu rio artificial. Famílias em férias têm a opção de montanhas a oeste ou do mar a leste.

Contras: Conseguir a Carolina do Norte novamente ou outro estado do Sul pode ser um tiro no escuro. Por isso, talvez uma outra cidade seja uma aposta melhor. Na última vez que os democratas se reuniram no Sul, em 1988, em Atlanta, eles perderam toda a região - e a maioria do país.

Alguns democratas podem se sentir desconfortáveis com a imagem de Charlotte como o segundo maior centro bancário do país, depois de Nova York, e seus bancos foram os principais beneficiários do dinheiro do resgate. A Carolina do Norte é um estado de direito ao trabalho, e Charlotte não tem hotéis sindicalizados.

Será que seu centro é compacto demais para dezenas de milhares de congressistas? Será que o clima estará muito quente e úmido?

Cleveland: uma concorrente disputada

The New York Times
O Rock and Roll of Fame, uma das principais atrações de Cleveland
Prós: Ohio é um Estado verdadeiramente disputado e, junto com a Flórida, foi o prêmio maior das últimas eleições. Os democratas não podem vencer sem ele. O fato de que os democratas se saíram tão mal no Estado nas eleições deve ser mais uma razão para o partido tentar conquistá-lo com a sua convenção. E Ohio tem mais votos eleitorais, 20, que qualquer outro Estado que disputa para sediar a convenção.

Oficiais de Cleveland argumentam que a cidade seria a mais acessível das quatro opções, com hotéis e restaurantes mais baratos. Outros pontos de interesse na cidade incluem o Hall da Fama do Rock, a renomada Orquestra de Cleveland, a Praça Playhouse e o Museu de Arte de Cleveland.

Contras: Será que Cleveland pode elevar as expectativas dos congressistas em visitar o Cinturão da Ferrugem, um lugar que não é exatamente emocionante? Será que a cidade conseguiria arrecadar o dinheiro necessário? Oficiais do Comitê Nacional Democrata ficaram profundamente decepcionados neste outono quando Cleveland conseguiu reunir apenas metade de uma arena universitária para um comício de Obama apenas dois dias antes das eleições.

Vários democratas do Condado de Cuyahoga estão sob investigação de corrupção. E o principal centro de convenção de Cleveland é menor do que em outras cidades.

Minneapolis: um concorrente antigo

Prós: Essa região sediou com sucesso a Convenção Nacional Republicana em 2008. A confiança de Minneapolis é percebida em seu lema para a convenção: "Engenhosa. Confiável. Pronta". O sindicato que representa milhares de trabalhadores de hotel está encorajando os democratas a realizar a convenção aqui ou em Saint Louis porque eles têm muitas instalações sindicalizadas. O prefeito da cidade, R.T. Rybak, foi o primeiro oficial do tipo no país a apoiar Barack Obama para presidente e tem sido extremamente favorável à sua administração.

Contras: Os republicanos acabaram de realizar sua convenção na cidade gêmea de Saint Paul em 2008. Por que repetir tão cedo? Além disso, se Obama não conseguir vencer uma Minnesota fortemente democrata, ele provavelmente perdeu a eleição de 2012 de qualquer maneira.

O telhado do Metrodome, o provável local para a convenção, despencou no domingo sob 2 metros de neve. Isso já aconteceu algumas vezes no passado, oferecendo um desafio para os organizadores de congressos. Um grupo de progressistas está trabalhando contra a candidatura de Minneapolis, dizendo que eles não querem uma repetição do que disseram ser violações das liberdades civis durante a convenção de 2008, incluindo prisões em massa.

Saint Louis: um destino familiar

The New York Times
Saint Louis disputa com outras três cidades para sediar convenção democrata
Prós: Saint Louis já sediou quatro convenções nacionais para os democratas e uma para os republicanos, sendo assim a cidade mais experiente do grupo, embora os democratas tenham se reunido pela última vez aqui em 1916. Ainda assim, há pouca dúvida sobre a capacidade da cidade para lidar com uma grande convenção.

Missouri, um Estado disputado, tem uma localização central. E em sua candidatura para a convenção, possui o apoio do Estado vizinho de Illinois, estado natal do homem que vai decidir a cidade vencedora. Saint Louis, juntamente com Minneapolis, foi recomendada pelo Unite Here, o sindicato dos trabalhadores de hotéis, por ter a maioria das hospedagens sindicalizadas. A cidade realizou um concerto este ano, com Chuck Berry e Nelly, para impulsionar o apoio de base para a convenção. Saint Louis também é a única cidade das quatro que tem um símbolo, o Arco Gateway.

Contras: Missouri tem sido uma decepção para os democratas nos últimos anos. Obama perdeu o Estado por pouco em 2008, este ano, o candidato democrata no Senado, perdeu com grande diferença. Saint Louis é uma cidade mais velha e pode ter mais dificuldade em projetar uma mensagem que sugira algo de novo sobre o partido. Seu crescimento populacional tem sido lento, e o Missouri pode perder um voto eleitoral após algumas mudanças no zoneamento.

*Por Katharine Q. Seelye

    Leia tudo sobre: euaconvenção democrataeleiçõesbarack obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG