Protesto de guru de ioga vira tempestade política na Índia

Especialista em ioga, que tentou se vestir de mulher para escapar de repressão, acusa partido governista de fomentar caos

The New York Times |

Soluçando, mas desafiador, Swami Ramdev prometeu no domingo que não será intimidado pela repressão policial que dispersou milhares de seus seguidores reunidos para uma greve de fome em protesto contra a corrupção. Ele culpou o governista Partido do Congresso de transformar um protesto pacífico em caos.

AFP
Guru indiano Swami Ramdev (C) fala em Haridwar após repressão policial em Nova Délhi (5/6/2011)
"O governo queria me matar", disse ele na televisão nacional horas após a greve de fome em Nova Délhi ter sido dispersada por policiais armados com gás lacrimogêneo. "A minha greve de fome não acabou. Vou continuar. Minha agitação vai continuar".

Swami Ramdev, um guru de ioga com um grande número de seguidores na Índia, havia organizado a greve de fome em massa que começou sábado em Nova Délhi. Mas menos de 14 horas depois, em meio ao tumulto da ação policial, ele foi detido e levado para o Estado de Uttaranchal, onde foi levado para seu ashram (espécie de retiro) perto da cidade de Haridwar.

Aparecendo na televisão nacional, ele descreveu como havia tentado escapar da invasão da polícia se vestindo de mulher e cobrindo a barba com um pano branco, mas tudo em vão.

A ação da polícia rapidamente transformou o que havia até então sido uma mistura peculiar de protesto silecioso através da ioga e uma manifestação em uma tempestade política.

Líderes do Partido Bharatiya Janata, ou BJP, da oposição do país, atacaram o Partido do Congresso por ter maltratado a greve de fome e descreveram a ação policial como "um capítulo vergonhoso na história da democracia deste país".

Sem desculpas

Mas os líderes do Partido do Congresso não se desculparam e partiram para o ataque, acusando Swami Ramdev de tentar deliberadamente provocar problemas como representante do Partido Bharatiya Janata e de outros grupos hindus de extrema direita.

Na semana passada, ministros se reuniram com ele várias vezes para explicar as iniciativas governamentais sobre a questão como parte de seu esforço para evitar a greve de fome e, no sábado, ele anunciou que o governo tinha atingido suas demandas. Mas após o governo anunciar publicamente que tinha havido um acordo e que Swami Ramdev tinha prometido acabar com a greve, ele raivosamente prometeu que a greve iria continuar.

No domingo de manhã, a polícia se mobilizou para acabar com o protesto. Rajan Bhagat, porta-voz da polícia, negou que a polícia tenha iniciado o confronto. Ele disse que alguns manifestantes começaram a jogar tijolos nos agentes depois que a polícia ordenou que todos fossem para casa. Então, os policiais usaram gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Bhagat disse que 23 policiais e 39 civis ficaram feridos no tumulto que se seguiu.

*Por Jim Yardley e Hari Kumar

    Leia tudo sobre: índiaprotestoiogacaospolítica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG