Propaganda online adota tom ainda mais pessoal

Apesar de toda preocupação e alvoroço a respeito da privacidade online, publicitários e companhias de dados sempre souberam muito mais sobre a vida dos consumidores longe da internet - sua renda, crédito, propriedades e até mesmo que carro dirigem.

The New York Times |

Mas recentemente, algumas destas companhias começaram conectar esta montanha de informações aos navegadores dos consumidores.

O resultado é uma mudança no modo como os consumidores veem a internet. As pessoas não apenas recebem propagandas personalizadas, mas versões diferentes de websites locais em relação a outros consumidores e até mesmo recebem ofertas diferentes de descontos enquanto fazem compras (tudo isso com base em informações sobre sua vida real).

A tecnologia que faz esta conexão não é nova  (é um código minúsculo conhecido como cookie, que é registrado no disco rígido dos computadores), mas a informação que ela detém é. Além do mais, tudo isso é feito de maneira invisível.

"Agora, você usa a internet com um cookie que indica sua posição no grupo consumidor: sua faixa etária, nível de renda, se é urbano ou rural, se existem crianças na casa", disse Trey Barrett, líder de produtos da Acxiom, uma das companhias responsáveis por esta nova modalidade de propaganda.

Os anunciantes e publicitários dizem que esta especificidade é útil porque elimina as conjecturas que envolvem os perfis online e torna possível o anúncio de produtos diretamente aos consumidores mais prováveis.

Mas os defensores dos consumidores dizem que tal artimanha imperceptível é preocupante. Os consumidores podem evitar este tipo de ação apagando os cookies de seu computador ou determinando que seus navegadores não registrem cookies, mas poucos fazem isso.

Durante décadas, companhias de dados como Experian e Acxiom compilaram dados sobre todos os americanos: a Acxiom estima ter 1.500 dados sobre cada americano, com base em informação obtidas através de cartões de vantagem, registros de nascimento e casamento, assinaturas de revistas, registros públicos e até mesmo inscrições de cachorro no Clube Canil Americano.

Companhias como a Acxiom e sua concorrente, Datran Media, fazem a conexão entre dados online e offline quando uma pessoa se registra em um website ou clica em um email de um anúncio.

Por exemplo, os cookies da Datran incluem entre 50 e 100 dados. Ambas as companhias dizem que os cookies de dados são anônimos. A Datran e a Acxiom vendem propaganda em websites para companhias que usam seus dados.

"É um pouco Big Brother", disse Betsy Coggswell, 49, trabalhadora social de Fullerton, Califórnia, que compra online regularmente. Ainda assim, ela disse não ficar chocada. "Toda vez que você coloca informações sobre si mesmo em um website tem que entender que alguém irá coletar estas informações".

Leia mais sobre publicidade

    Leia tudo sobre: publicidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG