Eric J. Toth, acusado por posse de pornografia infantil, passa a integrar lista de fugitivos buscados pelo governo dos EUA

Pouco depois de Osama bin Laden ter sido morto , o FBI solicitou a todos os seus escritórios que indicassem candidatos que pudessem tomar o lugar do criador da Al-Qaeda na lista dos dez fugitivos mais procurados da agência.

A escolha é mais complicada do que parece e vai além de encontrar um criminoso que seja realmente violento. Nos últimos anos, oficiais da agência tentaram selecionar fugitivos perigosos que possam estar escondidos à vista de todos e que poderiam ser reconhecidos pelo público por possuírem características físicas distintas.

Leia também:  Entenda como o FBI faz a lista dos seus dez mais procurados

Site do FBI mostra imagens de Eric Justin Toth, inserido na lista de mais procurados
Reuters
Site do FBI mostra imagens de Eric Justin Toth, inserido na lista de mais procurados

Nesta terça-feira, o FBI finalmente substituiu Bin Laden por Eric J. Toth, um professor da região de Washington que é acusado por posse de pornografia infantil. O anúncio marcou a primeira vez desde 2009 em que o FBI adicionou um fugitivo à sua lista.

"Temos tentado preencher algumas vagas", disse Kevin L. Perkins, diretor executivo interino para operações criminosas e digitais do FBI, referindo-se às vagas deixadas por Bin Laden e pelo chefe do crime de Boston James (Whitey) Bulger, que foi preso em junho.

Na verdade, no mês passado oficiais da agência se preparavam para pedir ao diretor da agência o privilégio de incluir um fugitivo acusado de matar três policiais em Porto Rico quando ele foi capturado.

Usar listas de mais procurados para recorrer à ajuda do público na captura de criminosos é algo comum nos Estados Unidos desde a posse de J. Edgar Hoover como chefe do FBI em 1930, quando o rosto do famoso ladrão de bancos John Dillinger entrou para a "lista de inimigos públicos".

Em 1950 a agência começou a usar a lista de dez fugitivos mais procurados.

Thomas Holden, que ocupava a primeira posição na época, foi acusado de matar sua esposa e dois cunhados.

Um ano depois, foi pego e enviado para a prisão de Alcatraz, em São Francisco. Desde então, o FBI capturou 464 dos 494 fugitivos que passaram pela lista.

Toth, o fugitivo adicionado à lista na terça-feira, foi preso depois que imagens de pornografia infantil foram encontradas em uma câmera em sua posse em 2008. Ele desapareceu logo depois.

Toth tem 30 anos e estudou na Universidade de Cornell por um ano antes de ser transferido para a Universidade de Purdue, onde se formou em Educação e Pedagogia. Ele é descrito como um especialista em computadores, de acordo com informações divulgadas pelo FBI.

O FBI disse que Toth "possui antecedentes favoráveis para que consiga um emprego em áreas que tenham alguma relação com crianças" e que ele pode oferecer serviços de aulas particulares. Desde 2008, acredita-se que ele tenha passado pelos Estados de Virginia, Illinois, Indiana, Wisconsin, Minnesota e Arizona.

As autoridades acreditam que têm uma boa chance de pegar Toth por causa de características muito distintas. "Ele tem uma pinta abaixo do olho esquerdo, é alto e magro", disse Perkins. "É o tipo de pessoa que com um pouco de exposição na lista poderia ser reconhecida."

Por Michael S. Schmidt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.