Prisão de jornalista iraquiano causa tumulto no Parlamento

BAGDÁ ¿ Uma sessão no Parlamento do Iraque irrompeu em bagunça nesta quarta-feira por causa de advogados que discutiam sobre o que deveria ser feito sobre a detenção do repórter de televisão do Iraque que jogou seus sapatos no presidente Bush, durante uma conferência da imprensa em Bagdá no começo desta semana, disseram pessoas que estavam na reunião do Parlamento.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Quando o Parlamento começou a discutir a legislação a respeito da retirada das forças armadas do Iraque de outros países, menos os EUA, um grupo de advogados pediu aos legisladores que levantassem a questão do jornalista detido, Muntader AL-Zaidi, 29.

Depois que seus sapatos erraram a cabeça de Bush por poucos centímetros na conferência que ocorreu neste domingo, 14, al-Zaidi foi dominado por um colega jornalista e depois espancado por membros da unidade de segurança do primeiro-ministro, que o puxaram para fora da sala. O choro de al-Zaidi podia ser ouvido de uma sala próxima.

A sessão parlamentar se tornou um tumulto que levou o orador do Parlamento, Mahmoud al Mashhadani, a anunciar sua demissão, de acordo com a agência Associated Press. O porta-voz de Mashhadani, Jabar al-Mashhadani, se recusou a confirmar se o orador se demitiria mesmo, embora ele também não tenha negado a informação.

No Parlamento, o orador levantou questões sobre a continuidade da detenção de al-Zaidi. Alguns membros apoiam o governo, mas temos que admitir que houve erros nos procedimentos sob os quais ele foi preso, disse al-Mashhadani, o porta-voz. Também devemos condenar o fato de que ele foi espancado.

A extensão das injúrias sofridas por al-Zaidi depois que ele foi dominado pelos seguranças do primeiro-ministro Nouri Kamal al Maliki e durante a prisão que se seguiu permanece obscura. Ele não apareceu em público desde sua prisão, nem nenhum membro de sua família ou representantes legais tiveram permissão para visitá-lo.

Nesta quarta-feira, agendaram a aparição de al-Zaidi para antes do julgamento, mas não ficou claro se isso iria acontecer. Quando os membros de sua família e da mídia apareceram no tribunal eles foram avisados de que al-Zaidi não estava lá.

Dhiya al-Saadi, um dos advogados de al-Zaidi, disse nesta quarta-feira que não estava certo se seu cliente apareceria antes do julgamento ou não.

Houve muitos rumores no Iraque de que al-Zaidi foi tão espancado depois do incidente com o sapato que ele teve de ser levado para uma hospital militar americano em Bagdá para receber tratamento.

Mas nesta quarta-feira, a sargento Susan James, porta-voz militar, disse que al-Zaidi não estava em um hospital americano.

O jornalista que jogou seus sapatos no presidente dos EUA não está em uma unidade de hospital dos EUA, escreveu James em um e-mail. Ele está sob a custódia de MoI, disse, referindo-se ao Ministério do Interior do Iraque, que lida com as questões de lei de coerção.

Como parte do sistema legal do Iraque, um juiz tipicamente fica a serviço da investigação para determinar se é garantido que sejam levantadas acusações legais contra o suspeito, disseram advogados criminais do Iraque.

O processo, que pelo menos no caso de al-Zaidi está acontecendo em particular, provavelmente será concluído em um interrogatório com al-Zaidi, embora não esteja claro onde ele esteja ocorrendo.

O jornalista pode pegar até sete anos de prisão se for acusado e condenado pelo crime de ofender a cabeça de um chefe de Estado estrangeiro.

A sessão do Parlamento nesta quarta-feira terminou sem um consenso sobre a ação do repórter, disse al-Mashhadani, porta-voz do orador.


Por TIMOTHY WILLIAMS e ATHEER KAKAN

Leia mais sobre Iraque

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG