Prisão de jornalista causa tumulto em Parlamento iraquiano

BAGDÁ - Uma sessão do Parlamento iraquiano virou tumulto na quarta-feira quando os legisladores debateram como responder à prisão do jornalista iraquiano que jogou seus sapatos contra o presidente Bush durante uma coletiva de imprensa em Bagdá no começo da semana, disseram algumas pessoas presentes.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Quando o Parlamento começou a deliberar sobre a retirada das forças armadas de outros países além dos Estados Unidos, um grupo de legisladores exigiu prioridade para a pauta da prisão do jornalista, Muntader al-Zaidi, 29. Depois que seus sapatos não acertaram a cabeça de Bush no domingo, Al-Zaidi foi dominado por um colega jornalista e então espancado por membros da equipe de segurança do primeiro-ministro, que o removeram da sala. Os gritos de Al-Zaidi podiam ser ouvidos na sala da coletiva.

A sessão parlamentar se tornou tão tumultuada que fez com que o orador do Parlamento, Mahmoud Al-Mashhadani, anunciasse sua demissão, de acordo com a Associated Press. O porta-voz de Mashhadani, Jabar Al-Mashhadani, se recusou a confirmar se o orador realmente deixou o cargo, apesar de não negar o fato.


"Sapatos voadores": o episódio repercutiu em todo o mundo / AP

No Parlamento, o orador questionou a contínua prisão de Al-Zaidi. "Alguns dos membros apóiam o governo, mas precisamos admitir que houve um erro no procedimento usado para sua prisão", disse Al-Mashhadani, o porta-voz. "Nós também precisamos condenar o fato dele ter apanhado".

A extensão dos ferimentos sofridos por Al-Zaidi depois que foi dominado por membros da equipe de segurança do primeiro-ministro Nouri Kamal Al-Maliki e durante os dias em que está na cadeia ainda permanecem incertos. Ele não foi visto desde sua prisão, nem mesmo sua família ou representantes legais têm direito a visitá-lo.

Incerteza

Na quarta-feira, Al-Zaidi deveria ter comparecido diante de um juiz, mas não se sabe se isso aconteceu. Quando sua família e membros da mídia apareceram na corte, eles foram informados que Al-Zaidi não estava lá.

Dhiya Al-Saadi, um dos advogados de Al-Zaidi, disse na quarta-feira que não tem certeza se seu cliente compareceu diante de um juiz. Ele disse que ainda não teve permissão de falar com o repórter.
Há muitos rumores no Iraque que indicam que Al-Zaidi apanhou tanto depois do incidente dos sapatos que teve que ser levado a um hospital militar americano em Bagdá para ser tratado.

Mas na quarta-feira, a sargento Susan James, porta-voz militar, disse que Al-Zaidi não se encontra em um hospital americano.

"O jornalista que jogou seus sapatos contra o presidente Bush não se encontra em uma facilidade médica americana", ela escreveu em um email. "Ele está sob custódia do MoI", ela disse, se referindo ao Ministério do Interior do país, que lida com questões legais.

Como parte do sistema legal iraquiano, um juiz tipicamente representa o papel de um investigador para determinar se haverá acusação formal contra o suspeito, explicaram advogados locais.

O processo, que pelo menos no caso de Al-Zaidi aparentemente acontece confidencialmente, deverá incluir uma entrevista com Al-Zaidi, apesar de não estar certo se isso já aconteceu.
O jornalista pode pegar até sete anos de prisão caso seja acusado e condenado por ofender um chefe de Estado estrangeiro em visita ao país. 

A sessão do Parlamento na quarta-feira terminou sem um consenso sobre que ação será tomada em relação ao jornalista, disse Al-Mashhadani.

Por TIMOTHY WILLIAMS e ATHEER KAKAN

Assista ao vídeo:

Leia mais sobre: Bush

    Leia tudo sobre: bush

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG