Preocupado com a China, grande herói do Vietnã adverte líderes

HANOI ¿ O grande herói do Vietnã, general Vo Nguyen Giap, se propôs a defender seu país mais uma vez. Mas agora ele quer lutar contra o que diz ser um grande erro do governo: um plano para permitir uma vasta exploração de minas comandada pela China.

The New York Times |

Giap, 97, é o comandante que liderou seu país à vitória sobre a França e os EUA. Ele surgiu como uma das vozes mais proeminentes em protestos populares, que estão desafiando os trabalhos secretos de líderes comunistas vietnamitas.

Em um passo incomum, recentemente, o governo deu atenção às suas críticas e pareceu estar ao menos agindo em resposta, dizendo que revisará o projeto de impacto ambiental e retardar sua implementação total.

O projeto, aprovado pelo poderoso Partido Comunista de Politburo no fim de 2007, pediu US$ 15 bilhões até 2025 para explorar reservas de bauxita ¿ principal minério do alumínio ¿ estimadas por alguns como a terceira maior do mundo.

O grupo de mineração Chinalco, que pertence à China, colocou seus funcionários e equipamentos para trabalhar no remoto local das Terras Altas Centrais sob um contrato em parceria com a mineradora vietnamita Vinacomin, que pretende produzir mais de 6,6 milhões de toneladas de alumínio até 2015.

Giap e outros opositores dizem que o projeto irá destruir o meio-ambiente, desalojar minorias étnicas e ameaçar a segurança nacional por causa do influxo de operários chineses e do aumento do crescimento econômico da China.

A disputa leva em questão diversos temas do Vietnã atual: sua imitação do modelo de desenvolvimento industrial chinês oposto ao ponto de vista ambiental, a tentativa de envolvimento em uma relação com um sistema de governo e cidadãos fechados, além de uma desconfiança visceral entre muitos vietnamitas da China, grande vizinho do Norte.

Com o surgimento do esboço do projeto, cientistas, acadêmicos, ambientalistas, veteranos de guerra e outros líderes se juntaram para desafiar o que o primeiro-ministro, Nguyen Tan Dung, chama de política maior do partido e do Estado.

Com exceção do meio-ambiente e da economia, o tema que corre nos blogs e na opinião pública é um profundo medo enraizado da China. O Vietnã foi um Estado tributário do Estado vizinho por mil anos e foi invadido por ele em 1979. E os dois países continuam lutando pelo domínio do Mar da China Meridional.

O chefe da empresa estadual Vinacomin, Doan Van Kien, dispensou as críticas, dizendo em uma entrevista que eles têm diferentes opiniões porque não têm informações suficientes. Kien insistiu que qualquer dano ambiental seria contido, que a população local receberia cuidados adequados e que os chineses não tomariam as Terras Altas Centrais.

Ao ser questionado sobre como se sentiu ao estar em posição contrária a do general, Kien, o chefe da Vinacomin, disse, Eu não ouso comentar. O general Giap é um herói nacional. Mas eu tenho de dizer que ele tem quase 100 anos. Temos que respeitá-lo, mas agora estamos sob a liderança do Partido Comunista e de um governo atual.


Por SETH MYDANS


Leia mais sobre Vietnã

    Leia tudo sobre: chinaguerramineradorespartido comunista da chinavietnã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG