Por que civis são alvos em Gaza?

CIDADE DE GAZA ¿ Três jovens estudantes de medicina estavam tirando fotos da cena de devastação, nesta segunda-feira, 19, nas quais apareciam cinco andares de pedregulhos de concreto verde, que antes do começo da guerra de Israel contra o Hamas era um laboratório de ciências.

The New York Times |

Eles atingiram meu futuro com um foguete, disse Muhammad Baroud, um dos estudantes da Universidade Islâmica. Isso é uma universidade. O que isso tem a ver com guerra?

Enquanto as pessoas de Gaza inspecionavam a destruição da cidade nesta segunda-feira, uma questão não parava de ser levantada: Por que instituições civis foram atingidas? Em mesas de refeitório e cafeterias, pessoas listavam os alvos: Ministério da Justiça, o Parlamento, o posto central da polícia, o posto de bombeiros e a Universidade Islâmica.

Israel argumenta que tais instituições ajudam a concentrar dinheiro, suprimentos e pessoas do Hamas, que é considerado uma organização terrorista, e por essa razão elas são alvos legítimos dos esforços israelenses em enfraquecer o grupo.

A infra-estrutura civil oferece os recursos administrativos, logísticos e humanos e estrutura de financiamento, que sustenta todo a força militar do Hamas, disse o capitão Benjamin Rutland, um porta-voz do exército de Israel.

Mas muitos habitantes de Gaza dizem que os ataques, que deixaram buracos escancarados e pilhas gigantes de pedregulhos no centro da cidade, pareceram mais um ataque contra eles como sociedade, do que uma forma direta de derrubar as leis e a estrutura do Estado.

A guerra não foi contra o Hamas, disse Rahmi El-Khedi, dono de uma floricultura no centro de Gaza. Foi contra mim, contra minha loja e minha cidade.

Ele acrescentou: Eles queriam caos, prejudicar a sociedade.

Para Baroud e seus amigos, o bombardeio do prédio do laboratório de ciências, que aconteceu nos primeiros dias da ofensiva israelense, foi um ataque de frente ao futuro deles. A universidade é renomada, e dizem que trabalharam muito para chegar onde chegaram. Trata-se de uma das melhores escolas de medicina na região e Israel reconhece sua importância.

Por SABRINA TAVERNISE

Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG