Polônia e Rússia discordam em homenagem a vítimas de acidente

Cerimônias que lembram mortes dos 96 a bordo do avião que caiu na região de Katyn são ofuscadas por disputa sobre texto de placa

The New York Times |

As cerimônias de homenagem ao presidente da Polônia e outras dezenas dos principais líderes políticos e militares do país que morreram em um acidente de avião há um ano, neste domingo e segunda-feira, estão sendo ofuscadas por uma disputa entre a Rússia e a Polônia sobre o texto de uma placa em memória das vítimas.

AFP
Presidente russo, Dmitri Medvedev (D) e mandatário polonês, Bronislaw Komorowski (4º à esq.) em homenagem às vítimas do acidente, nesta segunda-feira
Ambos os países concordaram em construir um memorial no local do acidente no oeste da Rússia, para onde os russos moveram uma grande pedra para servir a esse propósito.

O então presidente Lech Kaczynski e outros 95 funcionários polacos, incluindo membros do Parlamento Europeu, chefes do Exército e da Marinha, e o presidente do Banco Nacional, morreram durante uma viagem para lembrar as vítimas de uma tragédia anterior perto do local: o massacre soviético de prisioneiros poloneses na floresta Katyn, em 1940.

Parentes das vítimas polonesas tomaram a iniciativa de colocar uma placa no local que diz, em polonês, que Kaczynski e sua comitiva haviam morrido durante uma viagem para lembrar "o crime soviético de genocídio contra prisioneiros de guerra, oficiais do Exército polonês”. Mas, no sábado, o governador da região de Smolensk, Sergei V. Antufyev, ordenou a retirada da placa. A principal objeção, ele explicou a jornalistas russos no domingo, é a placa ser em polonês, sem tradução para o russo.

Embora a nova placa seja em ambas as línguas, o texto também foi alterado. Nenhuma menção foi feita à razão pela qua os oficiais poloneses haviam viajado para a região. A nova placa diz: "Em memória aos 96 poloneses liderados pelo presidente da República da Polônia, Lech Kaczynski, que morreu em um acidente de avião perto de Smolensk, em 10 de abril de 2010".

O presidente polonês, Bronislaw Komorowski, visitou o local nesta segunda-feira com o colega russo, Dmitri Medvedev. Depois de os jornais poloneses informarem que Komorowski iria comparecer ao evento, mas não iria depositar flores diante do monumento alterado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo emitiu um comunicado no domingo tendo o cuidado de esclarecer a mudança no texto e atenuar as preocupações de que a ação russa foi insensível por ter ignorado os desejos dos parentes dos mortos.

O texto original, segundo o comunicado, não foi aprovado pelos oficiais russos, a placa foi colocada independentemente do acordo entre os dois governos sobre eregir um marco comemorativo e a Polônia foi informadas dessas acusações.

* Por Andrew E. Kramer

    Leia tudo sobre: polôniarússiakatynhomenagemvítimas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG