Phelps dá aos americanos o que eles mais querem, um pouco de realidade

Ele transforma água em ouro todos os dias da semana. Mas aqui e agora, o super-herói olímpico Michael Phelps está ganhando algo muito mais valioso: o coração americano.

The New York Times |

O que realmente queremos de nossos super-heróis é sentir a dor deles.

Então, não é surpresa o país estar torcendo tanto por Phelps. Ele é o "Aquaman" das piscinas olímpicas, mas um cara normal quando está na superfície. Debaixo de todas aquelas medalhas brilhantes, ele é o cara sem jeito mais amável que os EUA conheceram depois do nerd dos computadores Bill Gates. 

Durante sua busca por uma marca sem precedentes de oito medalhas de ouro na China, o sr. Invencibilidade guardou o melhor de sua vulnerabilidade ao chorar durante o hino nacional americano, estimulando seus companheiros e jogando flores para a multidão. 

"Aquaman" anda sobre a água. Mas assim que Phelps sai da piscina, ele imediatamente se transforma no Dork Knight, sem medo de nos deixar vê-lo suando seu pequeno corpo. E assim é legal. 

Seu lema é: Medo é bom.

Quando, segunda-feira, Phelps se juntou a lendas como Mark Spitz, Carl Lewis e Paavo Nurmi ao terminar em primeiro numa Olimpíada pela nona vez em sua carreira, o nadador de 23 anos esmagou oponentes no estilo 200 metros nado livre, vencendo por quase dois segundos - o que você deve achar que afetou os sentimentos dos oponentes.  

O desempenho incrível provocou um enigma chinês em torno de uma questão mais longa que os 1:42.96 necessários para que Phelps cumprisse a distância da prova: enquanto nada, é possível calcular se está quebrando um recorde mundial? Sem chances, responde Phelps, rindo da questão, porque sou terrível com matemática. Essa era a matéria que eu tinha o pior desempenho na escola.

Vinte e quatro horas antes, enquanto os companheiros o estimulavam durante a final do revezamento 4x100m que o time americano venceu por uma unha de vantagem, Phelps abriu os braços e soltou um grito primitivo de alívio tão alto que eu juro que eu pude escutar sua voz nos Estados Unidos.

Eu definitivamente nunca celebrei tanto na minha vida depois de uma disputa, disse Phelps. Eu soltei um grito muito violento. Instantaneamente, uma Olimpíada toda sobre ele felizmente se tornou perdida no momento em que tudo o que importava era apenas o prazer de ser um dos garotos ali.  


Phelps comemora "como nunca" depois do revezamento / Reuters

Eu me senti muito satisfeito quando Phelps mostrou os olhos lacrimejantes depois de uma vitória dominante nos 400 metros individuais. Eu queria chegar ao pódio, mas não conseguia parar de chorar, confessou o Dork Knight. Com tudo o que aconteceu no último ano, ouvir o hino americano e todo mundo vendo isso em casa me deixou emocionado. E eu não tenho idéia do por quê.  

Depois que Spitz ganhou sete medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Munique de 1972, ele apareceu no "The Sonny and Cher Show." Para nosso espanto, a grandeza das Olimpíadas caiu por terra assim que Spitz abriu sua boca, revelando sua personalidade sem valor. Mas deveríamos ficar surpresos que Spitz caiu com um golpe ao ser exporto às luzes brilhantes da celebridade? 

Nadador solitário

Ser solitário não é requisito para nadar rápido, apesar de provavelmente ajudar. O esporte desenvolve a capacidade dos pulmões e não a sociabilidade. Nadadores não falam, eles sopram bolhas.   

A solidão das piscinas é para onde Phelps fugiu quando tinha nove anos, quando seus pais se separaram. Enquanto adolescente, sua perspectiva do mundo começou e terminou nos seus óculos de nadar, que ele arremessou longe durante uma explosão de raiva depois de uma rara derrota.

Para chegar aos 80 quilômetros diários de intermináveis voltas, Phelps começou no fundo da piscina, ouvindo nada além da batida do próprio coração.  Ele cresceu um solitário da Speedo. No barulhento complexo aquático, o barulho branco da água faz com que ele quase não escute os gritos de E-U-A! 


Phelps ajusta os óculos antes de mais uma prova / Reuters

Aquaman é um gigante solitário. Uma vez que estou numa competição, é como se eu estivesse numa gaiola. Portanto, deixe-me sair, disse Phelps.

Mas quer saber um segredo? O Dork Knight está suficientemente confortável em sua pele ao mostrar que um atleta com zero de gordura corporal tem uma área vulnerável. É por isso que Phelps pode capturar nossa imaginação como Spitz nunca sonhou.

Enquanto criança, Phelps odiava esportes coletivos. Ele não conseguia lidar com o inesperado, o que proporcionou o primeiro momento verdadeiro desses Jogos ¿ quando o nadador de 32 anos Jason Lezak surpreendeu Phelps com um abraço emocionado depois da prova do revezamento 4x100m, durante a final da modalidade que o time americano quebrou o recorde mundial.   

No fundo, todos nós entendemos que Phelps não poderia ganhar oito medalhas de ouro sozinho. A disputa mostrou isso, disse.   

Um verdadeiro super-herói é forte suficiente para admitir que para seguir em frente é preciso a ajuda das amigos.    

Seja gritando de prazer nas piscinas ou chorando no pódio, Phelps deu aos americanos o que eles mais queriam nessas Olimpíadas: um pedaço deles mesmos.

Aquaman é humano. Como nós. Quem diria?

Por Mark Kiszla

Leia mais sobre Phelps

    Leia tudo sobre: phelps

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG