Pesquisa aponta que campanha negativa se voltou contra McCain

O tom negativo e os ataques pessoais adotados pela campanha de McCain contra o senador Barack Obama parecem ter se voltado contra ele e prejudicado mais o candidato republicano do que seu oponente, aponta a última pesquisa New York Times/CBS.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Depois de diversas semanas nas quais a campanha de McCain lançou uma série de fortes ataques políticos contra Obama, a pesquisa descobriu que mais eleitores veem McCain coordenar uma campanha negativa do que  Obama.

Seis em cada 10 eleitores entrevistados disseram que McCain passou mais tempo atacando Obama do que explicando o que pretende fazer caso seja eleito à presidência; numa relação similarmente oposta, os eleitores disseram que Obama passou mais tempo explicando  sua plataforma política do que atacando seu oponente.

Em geral, a pesquisa descobriu que se a eleição acontecesse hoje, 53% dos eleitores votariam em Obama e 39% em McCain.

A descoberta acontece no momento em que a disputa entra em suas três semanas finais e outras pesquisas realizadas em Estados disputados que podem decidir a eleição mostram que Obama tem cada vez mais vantagem sobre o candidato republicano.

Reuters

Ataques pessoais marcaram a imagem de McCain

Mas diferenças nas pesquisas historicamente tendem a diminuir nas últimas semanas da corrida  eleitoral. Os eleitores cuja opinião sobre Obama mudou recentemente afirmaram que essa mudança foi positiva duas vezes mais do que negativa. Por outro lado, eleitores cuja opinião sobre McCain mudou afirmaram que essa mudança foi negativa três vezes mais do que  positiva.

Os principais motivos citados por aqueles que disseram ter opiniões  piores sobre McCain foram seus ataques recentes e sua escolha da  governadora Sarah Palin do Alasca como sua vice. (A ampla maioria  disse que sua opinião sobre Obama, o candidato democrata, e McCain, o candidato republicano, permaneceu a mesma nas últimas semanas.) Mas nos últimos dias, McCain e Palin deixaram de atacar Obama, apesar de McCain sugerir que ele pode partir para o ataque no debate desta  quarta-feira.

Enquanto a pesquisa mostrou Obama com 14% de vantagem entre os eleitores, quando Ralph Nader e Bob Barr, os candidatos libertários, foram incluídos na questão, a disputa se acirrou um pouco, com 51% dos pesquisados dizendo que apoiam Obama e 39% apoiando McCain, com Nader conseguindo 3% e Barr 1%.

Outras pesquisas nacionais mostraram Obama na frente com uma pequena margem de vantagem.

Por MICHAEL COOPER e MEGAN THEE

Veja também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG