Pedestres se arriscam para atravessar rua em segurança na Flórida

Planejadas para intenso fluxo de automóveis e com vias largas, cidades como Orlando menosprezam calçadas e faixas de pedestres

The New York Times |

Como qualquer pedestre na Flórida sabe, andar nesse Estado obcecado por carros pode ser tão tranquilo quanto jogar golfe em meio a uma tempestade de raios.

As calçadas são vistas como uma vantagem, não uma necessidade. As faixas de pedestres são rejeitadas e desonradas. E muitos motoristas simplesmente aceleram quando veem alguém atravessando a rua. Além disso, há as estradas cada vez maiores, cercadas por shoppings e construídas para mover carros para dentro e fora dos subúrbios.

Não é à toa que quatro áreas metropolitanas da Flórida, lideradas pela região de Orlando, são classificadas como os lugares mais perigosos para se andar no país, de acordo com uma pesquisa recente realizada pela Transportation for America, uma organização sem fins lucrativos de defesa da segurança no trânsito.

"Muito da Flórida foi construído rapidamente na era do design orientado ao automóvel, em uma espécie de fenômeno de expansão", disse David Goldberg, diretor de comunicações da organização. "A tendência tem sido para a construção de grandes artérias, com esses quarteirões super longos, e onde se pode chegar a uma boa velocidade".

A região de Orlando-Kissimmee ficou em primeiro entre as 52 analisadas no ranking das regiões mais perigosas para pedestres, com mais de 550 transeuntos mortos entre 2000 e 2009. Isso se traduz em uma taxa de mortalidade anual de 3 para cada 100 mil pessoas.

Em segundo veio Tampa-St. Petersburg-Clearwater, seguido de Jacksonville e Miami-Fort Lauderdale-Pompano Beach.

Os pesquisadores usaram 10 anos de dados de mortalidade de pedestres e números do censo para realizar seus cálculos relativos ao quanto se anda em uma determinada área. Usando essa escala, a região de Nova York, New Jersey e Long Island, que abriga o maior número de pessoas que caminham para o trabalho, é considerada uma das cidades mais seguras para os pedestres.

A região de Orlando, que também ficou em primeiro lugar na última pesquisa de fatalidades de pedestres, divulgada em 2009, levou os relatórios a sério, dizem os defensores. A cidade está construindo quilômetros de calçadas e instalando faróis audíveis para os pedestres. A cidade também aumentou o número de medidas para diminuir a velocidade do tráfego.

A cultura de agressividade nas ruas do Estado vai ser mais difícil de mudar, mas organizações sem fins lucrativos estão começando campanhas de educação (ou etiqueta) locais para modificar o comportamento.

"Estamos tentando mudar a cultura e essse pensamento que é centrado no uso de carros", disse Frank Consoli, engenheiro de operações do tráfego de Orlando. "Qualquer morte é demais. Não queremos ver isso. Não queremos que Orlando tenha uma reputação ruim, queremos tornar a cidade segura para os pedestres”.

*Por Lizette Alvarez

    Leia tudo sobre: flóridaorlandomiamieuatráfegopedestrescarroeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG