Partido de Mugabe perde o controle sobre o parlamento do Zimbábue

HARARE, Zimbábue ¿ De acordo com resultados eleitorais, o presidente Robert G. Mugabe e seu partido perderam o controle sobre o parlamento do Zimbábue, dando mais força para a grande questão: será que isto prognostica a perda da própria presidência, cargo que ele controla há 28 anos?

The New York Times |

Enquanto os zimbabuanos frustrados aguardavam durante o quarto dia consecutivo pelos resultados oficiais da disputa presidencial, o principal partido de oposição, liderado por Morgan Tsvangirai, anunciou sua contagem final, proclamando a vitória com 50,3% dos votos contra 43,8% de Mugabe ¿ margem suficiente para evitar um segundo turno.

A nação agora espera para ver se a contagem oficial será compatível com a da oposição, já com o conhecimento que não seria necessária uma estratégia muito extravagante para forçar um novo turno de votações em três semanas.

Há sinais de que Mugabe endossou um segundo turno, o que, embora não tão humilhante quanto uma derrota absoluta, ainda seria uma pílula difícil de ser ingerida para um líder que no poder há 28 anos, e que se considera um verdadeiro pai da nação. A edição da manhã de quarta-feira do The Herald, jornal local controlado pelo Estado, anunciou que a estrutura dos resultados mostra que nenhum candidato acumulará mais de 50% dos votos, o que força a realização de um segundo turno.

O jornal não publicou nenhum resultado total das eleições de sábado e atribuiu sua conclusão a analistas. No entanto, isso provavelmente significa que membros internos do partido do governo encorajaram o presidente a não desistir do cargo, persuadindo-o a permanecer na briga ou, ao menos, manter a opção de agir desta maneira.

Mesmo assim, a comissão eleitoral confirmou na última quarta-feira que o equilíbrio do poder foi alterado no Parlamento do país, o qual há tempos era liderado por simpatizantes de Mugabe. Com apenas 11 disputas que esperam por definição, o Movimento pela Mudança Democrática, partido de oposição, tem 106 cadeiras no total, incluindo uma para um aliado independente, numa Assembléia de 210 cadeiras. O partido de Mugabe, a Frente da União Nacional Patriótica, tem apenas 93 lugares, e entre os candidatos derrotados estavam sete ministros do governo do presidente.

Se um segundo turno acontecer, a oposição está preparada, disse o secretário do partido, Tendai Biti, durante uma coletiva de imprensa em que divulgou os resultados. Ele afirmou que o presidente perderia as eleições por uma margem vergonhosa dos resultados e sugeriu que Mugabe teria retrocedido com graça.

-Barry Bearak


Leia mais sobre: Zimbábue

    Leia tudo sobre: zimbábue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG