Para cortar custos com combustível, empresas aéreas diminuem o peso carregado

As companhias aéreas norte-americanas estão acompanhando de perto cada passo de suas operações, desde a pista até o céu, e desde o nariz até a cauda de suas aeronaves procurando novas maneiras de cortar gastos com o combustível.

The New York Times |

Elas estão lavando mais freqüentemente as turbinas para se livrar da sujeira acumulada, carregando menos água para as torneiras e vasos sanitários e substituindo os assentos dos passageiros por modelos mais leves.

O custo financeiro do aumento do preço dos combustíveis é particularmente agudo para as companhias aéreas por ser esta sua maior despesa. Oito anos atrás, 15% do preço da passagem eram destinados para pagar o combustível; hoje, esse número chega a 40%, de acordo com a Associação dos Transportes Aéreos, grupo que representa o setor.

Se os preços continuarem onde estão, as companhias aéreas norte-americanas irão gastar juntas US$ 61.2 bilhões com combustível ente ano ¿ cinco vezes mais do que gastaram em 2002, quando as vendas de passagens aéreas despencaram depois dos ataques de 11 de setembro de 2001. O preço do combustível já aumentou 84% comparado com o ano passado.

As transportadoras economizam ainda mais retirando jatos antigos de circulação, e já estão fazendo isso. A empresa Northwest está aposentando os jatos DC-9 usados por décadas; a American está enterrando alguns de seus MD-80, enquanto a United está retirando seis jatos 747.

Cada geração de aeronaves é mais eficiente que a anterior. Na Northwest, os Airbus A319 são 27% mais eficientes que os DC-9, disse Tim McGraw, diretor corporativo de programas ambientais e de segurança.

Mesmo manchas de sujeira são vistas como culpadas. A American e a Southwest estão lavando várias turbinas por noite, um processo que costumava acontecer somente durante as manutenções. A Southwest imagina que já economizou US$ 1.6 milhões em combustíveis desde abril por reduzir os danos causados pela sujeira e pelas aeronaves antigas.

Empresas aéreas estão voando em velocidade reduzida para gastar menos combustível ¿ 480 milhas por hora, por exemplo, ao invés das 500 milhas por horas, velocidade anteriormente utilizada.

Os passageiros irão notar outra mudança. Empresas incluindo a Delta estão trocando assentos pesados por modelos mais leves. A American está trocando os carrinhos de servir bebidas por outros que pesam aproximadamente 8 quilos menos.

Água é outro ponto. A Northwest está colocando 25% menos água nas torneiras e vasos sanitários dos vôos internacionais, disse McGraw. A maioria das aeronaves está retornando de vôos longos com meio tanque ainda cheio de combustível.

"Cada 13 quilos que removemos, poupamos US$ 440 mil por ano, finalizou McGraw.

Por MICHELINE MAYNARD

Leia mais sobre:  companhias aéreas

    Leia tudo sobre: companhias áereas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG