Paquistão afirma estar próximo de acordo com rebeldes

PESHAWAR, Pakistan ¿ O governo do Paquistão está próximo a um acordo para por fim às tensões com a maioria das tribos rebeldes na turbulenta região de fronteira. O principal líder tribal é acusado de realizar uma séria de atentados suicidas nos últimos meses, além de ser apontado como mentor do assassinato da ex-premiê Benazir Bhutto.

The New York Times |

Os 15 pontos a serem abordados no acordo, mostrado à equipe de jornalismo do The New York Times, prevêem o fim das atividades militantes e a troca de prisioneiros por um recuo gradual do exército paquistanês da região tribal de South Waziristan.

Mesmo com a negociação do governo juntamente com grandes líderes tribais, o militante Baitullah Mehsud ordenou a seus combatentes que suspendessem as atividades em regiões tribais, bem como na província adjacente da fronteira noroeste, alertando a possibilidade de punição aos violadores da regra.

Oficiais norte-americanos e afegãos disseram que estavam céticos quanto a um acordo com Mehsud, militante linha-dura. Eles ainda criticaram as tentativas de diálogo já realizadas, por permitirem que o Taleban e a Al-Qaeda se reagrupassem. Antes disso, membros da nova coalizão de governo do Paquistão já tinham afirmado que consideravam Mehsud um inimigo.

Vimos os acordos que fizeram no passado, e eles não funcionaram, disse um dos oficiais dos Estados Unidos, fazendo referencia a um tratado realizado em setembro de 2006 no norte de Waziristan, muito criticado por fortalecer as milícias e o surgimento de novos ataques na região do Afeganistão contra tropas norte-americanas e da ONU.

A aproximação com Mehsud foi seguida nos últimos anos por várias promessas do governo fez de trégua com as autoridades do presidente Pervez Musharraf, a fim de dar continuidade aos diálogos com militantes e restaurar a paz no Paquistão, arruinado por ondas de ataques suicidas. Diplomatas e oficiais afegãos sugeriram que o governo tentava mostrar boa vontade à medida que buscava tempo para manter estabilidade.

Mehsud, que é provavelmente o militante mais famoso em todo o Paquistão, lidera um enorme grupo de militantes nas áreas de fronteira, conhecidos como o Movimento Taleban do Paquistão.

Mehsud declara ter uma multidão de terroristas suicidas a sua disposição, e é acusado pela maioria dos ataques ocorridos no Afeganistão e Paquistão nos últimos dois anos. Diplomatas e oficiais afegãos afirmaram que acreditam que o novo governo reconheça que o líder representa uma grande ameaça, mesmo com uma possível trégua de ataques frente às negociações.

Zahid Khan, oficial do governo pelo Partido Nacional Awami em Peshawar, confirmou que negociações estavam em andamento com a tribo de Mehsud, e não diretamente com o líder.

-Ismail Khan e Carlotta Gall

Leia mais sobre: Paquistão

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG