Papa faz visita ao Oriente Médio com esperança em mãos

CIDADE DO VATICANO - Quando o papa João Paulo 2o viajou à Terra Sagrada em 2000, a visita foi histórica, a primeira vez que um Sumo Pontífice reconheceu o Estado de Israel ou visitou locais sagrados para o Islã.

The New York Times |


Quando Bento 16 for à Jordânia, Israel e territórios palestinos nesta sexta-feira, o momento será mais importante por quem ele é. Um homem cujo papado de quatro anos foi marcado por passos errados que irritaram e ofenderam judeus e muçulmanos fará 32 discursos em alguns dos locais mais sagrados do mundo para eles tanto quanto para os cristãos. Grupos religiosos na Jordânia já protestam.

Planejada desde o outono do ano passado, a viagem de Bento acontece em um momento de incerteza e mudanças na região. Israel acaba de receber um novo governo de direita, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Além disso, duas das principais facções palestinas permanecem hostis e divididas, com a secular Autoridade Palestina, liderada pelo presidente Mahmoud Abbas, controlando a Cisjordânia e o grupo islâmico Hamas com poder em Gaza.

As emoções ainda estão à flor da pele por causa da morte de 1.300 palestinos na ofensiva israelense a Gaza em janeiro, que foi criticada pelo Vaticano.

Mas oficiais do Vaticano dizem que o papa estava ansioso por esta viagem, não importa suas condições, por causa de sua idade. Ele fez 82 anos este mês.

Sua visita acontece três anos depois dele ofender muitos muçulmanos com um discurso em Regensburg, Alemanha, no qual citou um imperador bizantino que disse que o Islã encorajou a violência e trouxe coisas "ruins e desumanas".

Para consertar isso, ele falou com inúmeros grupos muçulmanos e rezou na Mesquita Azul em Istambul em uma viagem à Turquia dois meses depois da gafe. Ele dará continuidade a estes esforços de reconciliação na Jordânia, onde chega na sexta-feira e irá visitar uma mesquita e se encontrar com clérigos muçulmanos e estudiosos. Bento também visitará o Monte Nebo, local onde acredita-se que Moisés tenha visto a Terra Prometida.

Na segunda-feira, Bento aterrissa em Tel Aviv para quatro dias intensos em Israel que irão incluir o Muro das Lamentações, sagrado para os judeus, e o Santo Sepulcro, sagrado para os cristãos, além da sala onde acredita-se que Jesus tenha celebrado a Última Ceia. Em Jerusalém ele visitará o terceiro local mais sagrado para a fé muçulmana: o composto religioso na Cidade Velha conhecido como o Santuário Nobre.

Leia também:

Em imagens:

Leia mais sobre papa Bento 16

    Leia tudo sobre: papa bento 16

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG