Orgulhosa, a China se torna barulhenta

PEQUIM ¿ Esta Olimpíada está tão barulhenta que suas orelhas podem sangrar. A enorme vantagem esportiva dos donos da casa é ferozmente amplificada por bilhões de chineses fanáticos, e em breve você não vai mais conseguir pensar com os gritos de ¿Chi-NA! Chi-NA! Chi-NA!¿ chacoalhando seu cérebro.

The New York Times |

Vamos lá, sinta o barulho. Está abalando o mundo do esporte, inclinando os eixos das potências do esporte.   

Nas últimas provas disputadas pelas equipes femininas de ginástica, eram as atletas americanas contra a esperança de 1,3 bilhão de chineses saudosos por exercitar os músculos do país.

Qualquer sonho dourado americano de medalha foi inundado pelo mar vermelho de sons emitidos por aproximadamente 19 mil espectadores chineses apaixonados no barulhento Estádio Nacional. 

Elas têm uma multidão torcendo ferozmente por elas, me contou a ginasta americana Alicia Sacramone, enquanto se esforçava muito para não chorar depois de cometer dois grandes erros na trave e no solo que custaram muito caro para a equipe dos EUA. No fim, elas tiveram um dia muito melhor que o nosso.


Alicia Sacramone cai durante exercício no solo / AP

A China venceu os EUA por 188.900 a 186.525. Você não precisa saber nada sobre trave para entender que a competição não foi nem de perto tão acirrada quanto o placar pode sugerir.    

E, por favor, não pensem que o barulho tem um papel menor nas provas olímpicas de ginástica ¿ onde cada balanço de nervosismo conta ¿ do que no World Series (campeonato de baseball disputado pelos vencedores da Liga Americana e da Liga Nacional), quando a multidão se levanta como uma só no final do nono turno.

Como alertou há muito tempo a guru das ginastas americanas, Bela Karolyi, o grito da multidão influencia os jurados. Essa é a vantagem de competir em casa.

Não existe maneira educada de falar isso: as americanas, intimidadas em terra estrangeira, ficaram sufocadas.  

Essas coisas acontecem

O pior caso de nervosismo abalou Sacramone, atleta de 20 anos que errou o ao aterrissar na trave logo após a entrada, depois de ter sido forçada a esperar cinco minutos  antes de ser chamada para começar a série. A razão do atraso é um mistério, e levou a representante do time americano Martha Karolyi a reclamar intensamente. O resultado do atraso, no entanto, foi obviamente doloroso.   

Eu demorei uma eternidade para começar, disse Sacramone sobre a espera. Eu deixei os nervos tomarem conta de mim.  

No momento que Kexin He, uma das ginastas olímpicas acusada de falsificar sua data de nascimento para atingir a idade mínima para competir nas Olimpíadas, cravou sua entrada nas barras paralelas na competição, os torcedores deliraram e a festa da República Popular estava acontecendo. 

Os corações do Denver Broncomaníacos devem saltar de tanta paixão, e o zumbido no Estádio Yankee definitivamente tem um vocabulário mais profano que os fãs de esporte na China.

Mas ninguém, eu quero dizer ninguém, pode fazer tanto barulho como os chineses. Por que esses caras são extremamente barulhentos?  


Torcedores chineses fazem barulho e desestabilizam atletas / AP

A resposta é tão inegável quanto as Olimpíadas tocando no meu ouvido. A China é um país cheio de gente, quase o tamanho dos EUA, mas com o dobro da população, explica orgulhoso um torcedor chinês. Como resultado, as pessoas tendem a ser mais barulhentas.

Muito barulho

Em uma nação de 1,3 bilhão, você precisa gritar para ser ouvido. Maldição, até pegar um ônibus na Praça da Paz Celestial pode ser um esporte competitivo sem nenhuma regra. Os torcedores chineses fazem mais que usar o vermelho da República Popular nas mangas; lutar pelo time da casa está no sangue. O governo totalitário deveria aumentar o volume, porque no fim das contas, o que é torcer senão gritar em altos decibéis?

A educação patriótica começa no jardim de infância e valores individuais são percebidos como relativamente insignificantes comparados como os EUA, disse Ming.  

Depois de um crescimento na economia e nos músculos dos atletas da China durante os últimos 20 anos, esses Jogos são a chance de muitas pessoas orgulhosas do país soltarem seus gritos.  

Enquanto essa situação amargava, pequenas ginastas que lutavam chegaram ao chão, e estava tudo acabado exceto os gritos. Enquanto a chinesa Yuyuan Jiang empinava e fazia movimentos no solo, uma multidão de 19 mil pessoas batia palmas no ritmo, energizando cada passo da atleta. 

O mundo veio à China por pequenos tombos e saltos, e um show de rock aconteceu.  

No fim da competição de ginástica, os chineses tinham mais para comemorar que as suas rivais americanas, com 14 medalhas de ouro, ante 9 dos EUA. Mesmo funcionários da delegação americana admitem silenciosamente que o século 21 pertence a uma nova potência esportiva em crescimento no distante Oriente.  

Melhor se acostumar com isso, porque o som das coisas vem da China.

Sintam o rugido.

Por Mark Kiszla

Leia mais sobre China - Olimpíadas

    Leia tudo sobre: chinaolimpiadas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG