ONU diz que Irã enriqueceu mais urânio do que informou

Em sua primeira avaliação do programa nuclear iraniano desde que Obama assumiu a presidência dos Estados Unidos, inspetores atômicos descobriram que o Irã recentemente minimizou em um terço a quantidade de urânio que enriqueceu, afirmaram oficiais da ONU na quinta-feira.

The New York Times |

Os oficiais também declararam pela primeira vez que a quantidade de urânio que Teerã tem acumulado (mais de uma tonelada) é suficiente, com o acréscimo de purificação, para a construção de uma bomba atômica.

No relatório divulgado em Viena, a Agência Internacional de Energia Atômica disse que descobriu outros 208 quilos de urânio pouco enriquecido, um terço a mais do que o Irã havia informado anteriormente. A agência fez a descoberta durante seu inventário físico anual de materiais nucleares na usina de enriquecimento de Natanz.

Especialistas independentes em armas nucleares ficaram surpresos com a descoberta e criticaram os inspetores por inspecionarem o progresso iraniano apenas uma vez ao ano.

"É pior do que pensávamos", disse Gary Milhollin, diretor do Projeto de Controle de Armas Nucleares de Wisconsin. "É alarmante que a produção real tenha sido minimizada em um terço".

O impacto político do relatório, ainda que difícil de ser analisado, pode ser significativo para a gestão Obama. Obama disse que quer abrir um diálogo direto com o Irã sobre seu programa nuclear. Mas o processo pode levar meses, e o relatório sugere que o Irã está seguindo adiante com avidez em seu projeto de enriquecimento.

A informação sobre o excedente um terço foi revelada no relatório quadrimestral da agência atômica, que foi divulgado ao público na quinta-feira. O relatório afirmou que o Irã produziu um total de 1,010 kg  de urânio pouco enriquecido.

A discrepância foi percebida quando o relatório notou que o novo total adveio da soma de 171 kg de produção nova a 839 kg de produção antiga. Mas a agência havia previamente relatado a antiga produção como sendo de 630 kg.

Então, os iranianos haviam produzido muito mais urânio do que informado anteriormente (209 kg a mais, um aumento de um terço).

Os oficiais da ONU explicaram a discrepância como resultante da diferença entre as estimativas iranianas e uma medida mais exata. Eles disseram que as inconsistências são razoáveis para uma nova usina de enriquecimento.

-  WILLIAM J. BROAD e DAVID E. SANGER

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG