Obama se aproxima de 'maior igualdade' a respeito do casamento gay

Apesar de não apoiar enfaticamente união homossexual, presidente americano dá sinais de que endossa direito de gays se casarem

The New York Times |

Depois de meses dizendo que sua posição sobre o casamento homossexual está em "evolução", o presidente americano, Barack Obama, mudou de discurso na quarta-feira fazendo comentários que chegaram perto de endossar a ideia de que os gays têm o direito de se casar.

Mas se a sua evolução pessoal for completa, Obama, que já se opôs ao casamento gay, não está dizendo isso. "Eu acho que o que estamos vendo é um profundo reconhecimento por parte do povo americano de que gays e lésbicas e transgêneros são nossos irmãos, nossas irmãs, nossos filhos, nossos primos, amigos, colegas de trabalho, e que eles têm de ser tratados como qualquer outro americano", disse Obama em uma entrevista coletiva. "E eu acho que esse princípio vai prevalecer. (...) Acho que estamos caminhando em uma direção de uma maior igualdade - e isso é uma coisa boa”.

The New York Times
Obama acena para convidados em festa do Orgulho Gay na Casa Branca (29/6)
Obama usou as mesmas palavras - "uma coisa boa" - para descrever o debate em Nova York, que levou à passagem de uma lei que autoriza o casamento homossexual na semana passada. Mas quando perguntado se ele, pessoalmente, apoia tais casamentos, o presidente hesitou. "Eu não vou criar notícias sobre isso hoje", disse ele.

Festa

Obama, que realizou uma festa em homenagem ao Orgulho Gay na Casa Branca na noite de quarta-feira, está sob pressão dos defensores dos direitos dos homossexuais para esclarecer a sua posição após os votos em Albany e seus próprios comentários em um evento de arrecadação de fundos em Nova York na semana passada, em que ele sugeriu que a questão do casamento deve ser deixada para os Estados.

As observações enfureceram mesmo alguns aliados próximos, que sugeriram que Obama, um ex-professor de direito constitucional e filho de um casamento interracial, estava invocando argumentos usados antes para defender a segregação racial. A reação à coletiva de imprensa foi mista.

Alguns criticaram o presidente por permanecer "no armário", como disse o jornal The Christian Science Monitor. Richard Socarides, ex-assessor do presidente Bill Clinton para os direitos dos homossexuais, considerou significativo que Obama abandonou seu discurso sobre "evolução" e disse que sentiu que "a evolução de Obama foi concluída - só aguardamos o anúncio (sobre a sua posição)".

Mas o próprio Obama deixou claro que não haveria anúncios. "Eu acho que essa pergunta já foi feita e respondida", ele respondeu a Laura Meckler do The Wall Street Journal, quando ela o pressionou pela segunda vez a expor o seu ponto de vista pessoal. "Vou continuar a dar a mesma resposta até que eu tenha uma opinião diferente, tudo bem?"

*Por Sheryl Gay Stolberg

    Leia tudo sobre: obamacasamento gayeuahomossexuais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG