Obama quer ampliar força de segurança local para estabilizar Afeganistão

WASHINGTON - O presidente Barack Obama decidiu, juntamente com seus conselheiros, ampliar significativamente as forças de segurança do Afeganistão na esperança de que um exército profissional e uma força policial muito maior possam preencher o vão deixado pelo governo central e fazer mais para promover a estabilidade, de acordo com um oficial sênior do Pentágono.

The New York Times |

Um plano que espera aprovação final do presidente definiria como objetivo uma força de cerca de 400 mil soldados e policiais, mais do que o dobro do tamanho atual e três vezes o tamanho que os oficiais americanos acreditavam ser necessário para o Afeganistão em 2002, quando o Taleban e a Al-Qaeda pareciam ter sido erradicados da região.

Os oficiais disseram que Obama deve aprovar uma versão do plano nos próximos dias como parte de uma estratégia Afeganistão-Paquistão mais ampla. Mas mesmo membros da equipe de segurança do presidente pareceram surpresos com o custo do programa, que varia entre US$ 10 bilhões e US$ 20 bilhões nos próximos seis ou sete anos.

Em comparação, o orçamento anual de todo o governo afegão, que é amplamente oferecido pelos Estados Unidos e outros contribuidores internacionais, é de cerca de US$ 1.1 bilhões, o que significa que o preço anual do programa seria o dobro do custo operacional do governo do presidente Hamid Karzai.

Estes números incluem não apenas o custo de treinamento e do estabelecimento de forças, e os oficiais ainda tentam determinar os custos para a manutenção de tais forças de segurança a longo prazo.

Oficiais da gestão também expressaram preocupação de que a expansão do exército afegão possa rivalizar com a presidência corrupta de Karzai. Os comandantes americanos que recomendaram o aumento argumentam que qualquer risco de se criar um um exército afegão mais poderoso seria sobrepujado pelos riscos ainda maiores da violência insurgente que pode ameaçar o governo central caso não seja controlada.

No momento, o exército tem mais de 90 mil soldados, e a Polícia Nacional Afegã outros 80 mil oficiais. O tamanho relativamente pequeno das forças de segurança frustra oficias afegãos e comandantes americanos que querem melhorar a segurança para legitimar as forças do país, e não os senhores de guerra locais, mais rapidamente.

A nova proposta autorizaria a duplicação do exército, depois de um aumento aprovado no último verão, para cerca de 260 mil soldados. Além disso, aumentaria o número de oficiais de polícia, patrulhas e guardas de fronteira para elevar o número total das forças de segurança para cerca de 400 mil.

Os oficiais que descreveram a proposta falaram sob condição de anonimato porque não foram autorizados a discutir o assunto em público antes que a proposta final seja aprovada por Obama.

Leia também:


Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG