Obama mantém roteiro com ajuda de teleprompters

WASHINGTON - Ao anunciar suas escolhas para a secretaria da Saúde e Serviços Humanos no Salão Leste esta semana, o presidente Barack Obama movia sua cabeça da esquerda para a direita, mas ele não estava observando a plateia.

New York Times |

Ele estava lendo seu discurso em dois teleprompters (monitores para exibição de texto) estrategicamente colocados abaixo de cada câmera.

Quando concluiu, os teleprompters silenciosamente foram baixados ao chão. Ao subir ao púlpito para falar aos presentes, a governadora Kathleen Sebelius do Kansas, pareceu momentaneamente surpresa.

"Não se importe com o pequeno problema...",  disse Obama com um sorriso.

"Está sumindo!", ela disse, brincando.

Os presidentes têm usado teleprompters há mais de meio século, mas nenhum havia dependido deles tanto quanto Obama até então. Enquanto outros presidentes usavam o equipamento tipicamente para discursos mais importantes, Obama os utiliza para anúncios rotineiros e até mesmo para a declaração de abertura de sua primeira e única coletiva de imprensa.

Para Obama, um teleprompter significa disciplina na mensagem, fazendo com que se mantenha dentro das palavras escolhidas. Enquanto alguns presidentes preferem improvisar, Obama gosta de planejar suas mensagens. Afinal de contas, ele é um autor de sucesso que ajudou a escrever seus principais discursos, então possivelmente sente uma certa fidelidade em relação a seu texto.

Obama nunca havia usado um teleprompter até o seu discurso na Convenção Democrata de 2004, mas fez uso do equipamento durante a campanha do ano passado.

A Casa Branca não respondeu a perguntas sobre o uso que Obama faz das máquinas.

"Usar ou não cartões com anotações ou um teleprompter não vem ao caso, o povo americano está muito mais preocupado com os planos anunciados do que com a forma como são divulgados", disse o porta-voz Bill Burton. "Isso nem sempre é verdade sobre os meios".

Kevin Sullivan, último diretor de Comunicações da Casa Branca de Bush, disse que o uso contínuo de teleprompters pode arriscar com que Obama pareça artificial. "Este é o melhor e mais eficiente comunicador de nossa geração", disse Sullivan. "Acho difícil que ele precise disso".

Mas Nicolle Wallace, outro diretor de comunicação de Bush que trabalhou com o senador John McCain no ano passado, disse que Obama deve continuar a usar o que funciona para ele.

"Eu diria que para um homem conhecido em todo o mundo por ser tão eficiente quanto é na comunicação, ele não deve mudar nada", disse Wallace. "Se é isso que funciona para eles, então é isso que deve fazer".

-  PETER BAKER

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG