Obama irá detalhar no Senado interações de sua equipe com gabinete de Blagojevich

CHICAGO - O presidente eleito Barack Obama prometeu na quinta-feira revelar qualquer interação entre sua equipe de transição e o gabinete do governador Rod R. Blagojevich de Illinois, ao mesmo tempo que declarou novamente não ter envolvimento na negociação da cadeira que ocupava no Senado.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Agentes federais também reconheceram que um grande júri pesava as evidências do caso contra Blagojevich, apesar do momento de seu indiciamento ainda não estar claro. Blagojevich foi preso na terça-feira sob acusação de conspiração e solicitação de suborno em um caso que inclui acusações de que havia colocado o antigo cargo de Obama à venda.

Em uma narrativa exclusiva sobre como o governador realizava o processo de seleção, um senador do Estado de Illinois disse em entrevista que se sentiu pressionado a responder ao interesse do governador nele com um acordo equivalente e que retirou seu nome da candidatura por estranhar o processo.

O senador estadual, Kwame Raoul, que representada a região Sul de Chicago, ofereceu poucos detalhes de sua interação com o gabinete do governador mas disse ter recebido uma ligação há cerca de um mês confirmando que ele seria considerado. Pouco depois, no entanto, Raoul disse que encontrou outra mensagem dizendo que o governador procurava por um candidato que oferecesse um valor tangível a ele.

"Isso era sabido entre as pessoas de Springfield, legisladores e lobistas falavam abertamente sobre o fato do governador querer indicar alguém que pudesse beneficiá-lo", disse Raoul. "Eu posso afirmar que tive essas conversas, que falei com legisladores e lobistas que sentiam que este seria o fator decisivo para a indicação".

Fatos e contatos

Em uma coletiva de imprensa em Washington, Obama disse que havia pedido a sua equipe que "reunisse todos os fatos e contatos" com o gabinete de Blagojevich para que ele pudesse compartilhá-los com todos "nos próximos dias".

Obama acrescentou que estava surpreso e desapontado pelo que leu nas transcrições das escutas federais contendo provas criminais contra Blagojevich.

Patrick J. Fitzgerald, promotor do distrito norte de Illinois, disse que Obama não está implicado na investigação.

"O que eu quero fazer", disse Obama, "é reunir todos os fatos sobre qualquer contato entre nossas equipes que possa ter acontecido".

"Mas eu tenho certeza que nós não tivemos nenhum envolvimento na negociação do meu posto no Senado. Disso eu tenho absoluta certeza".

Por SUSAN SAULNY e MONICA DAVEY

Leia mais sobre Obama - Blagojevich


    Leia tudo sobre: blagojevichobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG