Obama faz campanha para vender pacote de estímulo

WASHINGTON - A campanha presidencial geralmente amava mais Barack Obama do que ele amava estar na estrada. Quando tomou posse no mês passado, ele disse a amigos que estava ansioso em lidar com os rigores do Salão Oval sem ter que encarar as dificuldades de estar em uma parte diferente do país dia sim, dia não. Mas, de repente, a estrada voltou a fazer parte de sua rotina.

The New York Times |

Em um esforço para conseguir apoio a seu plano de estímulo econômico, Obama irá a Indiana nesta segunda-feira, realizando sua primeira coletiva de imprensa no horário nobre nesta noite e seguindo para a Flórida na terça-feira.

Em ambos os Estados, ele trabalhará para conseguir mais votos republicanos para seu pacote de resgate de US$ 800 bilhões e para tomar controle do debate sobre o assunto. Ele também espera repor seu reservatório de capital político e confiança, depois de uma semana difícil na Casa Branca.

Como afirma o secretário de imprensa da Casa Branca, Robert Gibbs: "É importante ir diretamente aonde as pessoas estão sofrendo, seja em Indiana, seja na Flórida, e falar diretamente com elas sobre o preço da inércia".

Quando Obama chegou a Washington no dia 4 de janeiro, mais de duas semanas antes de tomar posse, ele disse que estava feliz em se assentar depois de saltar de cidade em cidade nos últimos dois anos.

Inicialmente, o presidente estava relutante em ficar longe de Washington, disseram seus assistentes, porque ele ainda está lidando com propostas econômicas, conhecendo militares e tentando preencher seu gabinete.

Mas na semana passada, conforme os republicanos do Congresso se posicionaram contra o plano de resgate, alguns democratas expressaram preocupação de que o presidente não esteja seguindo o caminho de seus predecessores de ambos os partidos fazendo campanha por seu plano para ajudar a vendê-lo e guiá-lo ao longo de uma passagem difícil.

Ao voltar a fazer campanha, Obama poderá recarregar suas energias. E a imagem dele entrando no Força Aérea Um, com multidões adoradoras ao seu redor, é uma forma unicamente presidencial de se fazer isso.

Mas pesquisas particulares e públicas, bem como grupos focais reunidos por estrategistas democratas, mostraram que o apoio público ao pacote estava diminuindo conforme os republicanos aumentavam suas críticas ao plano.

Poucas horas depois de voltar da campanha, Obama irá falar ao país pela primeira vez no horário nobre do Salão Leste da Casa Branca e argumentará porque o pacote econômico é necessário.

- JEFF ZELENY

Leia mais sobre pacote de estímulo financeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG