Obama é eleito presidente dos Estados Unidos

Barack Hussein Obama foi eleito o 44º presidente dos Estados Unidos na terça-feira, derrubando a última barreira racial da política americana com facilidade conforme o país o escolhe para ser o primeiro negro comandante da nação.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

A eleição de Obama faz parte de uma catarse nacional o repúdio a um presidente republicano impopular e a sua política econômica e internacional, em nome da mudança de direção e tom do país instigada pelo candidato democrata. Mas além disso, o momento representa uma evolução na história racial do país, algo que seria impensável há apenas dois anos.

Obama, 47, senador em primeiro mandato pelo Estado de Illinois, derrotou o senador John McCain do Arizona, 72, ex-prisioneiro de guerra que tentava o cargo pela segunda vez. No final, a campanha de McCain foi obscurecida por um oponente que pode ser descrito como um fenômeno, que atraía multidões consagradas nas milhares de pessoas que estiveram no Grant Park em Chicago para ouvir o discurso de vitória de Obama.

McCain também enfrentou as dificuldades de um ambiente político hostil, prejudicado pela bagagem deixada pelo presidente Bush e uma crise econômica que aconteceu em meio à campanha eleitoral.

O dia resplandecia história conforme os eleitores tomavam seus lugares nas filas antes mesmo de amanhecer (horas antes da abertura das urnas) para participar de uma eleição que, após dois anos, exigiu enorme atenção do público americano.

Conforme a apuração avançava e Obama conquistava marca após marca, vencendo Ohio, Pensilvânia, New Hampshire, Iowa e Novo México muitos americanos saíram às ruas para comemorar o que muitos descreveram, com um certo exagero compreensível, uma nova era em um país onde há apenas
143 anos o candidato, como homem negro, não passaria de um escravo.

Para os republicanos, especialmente os conservadores que dominam o partido há décadas, a noite representou um amargo recuo que os deixou contemplando sua nova posição na política americana.

Obama liderou seu partido em uma decisiva conquista do Congresso, colocando os democratas em controle tanto da Câmara quanto do Senado (com números surpreendentes), além da Casa Branca pela primeira vez desde 1995, quando Bill Clinton foi eleito. O novo presidente e sua maioria democrata agora enfrentarão o desafio de governar o país em um período difícil: por uma possível recessão longa e profunda.

Os republicanos derrotados nas urnas incluem alguns conhecidos moderados do partido - como o senador John Sununu de New Hampshire e Chris Shays de Connecticut - demonstrando que o grupo representante do partido que chegará à Washington em janeiro não será apenas menor, mas mais conservador.

Obama assumirá o cargo depois de uma eleição na qual fez algumas promessas claras: cortar os impostos da maioria dos americanos, promover uma retirada ordenada do Iraque e ampliar a saúde pública.
Reconhecendo a difícil transição que irá enfrentar, Obama deve indicar membros de sua Casa Branca a partir desta semana.

- ADAM NAGOURNEY

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG