Obama detalha plano para ajudar vítimas da crise fiscal

TOLEDO, Ohio - O senador Barack Obama propôs novas medidas na segunda-feira para lidar com a crise econômica, pedindo novos programas temporários ainda que caros para ajudar empregadores, automotivas, donos de imóveis e desempregados, além dos governos locais e estaduais.

New York Times |

  • Direto dos EUA : repórter do iG acompanha a reta final da disputa
  • Em seu discurso aqui, Obama, candidato democrata à presidência, propôs dar aos empregadores um crédito fiscal de US$3,000 para cada nova contratação como forma de encorajar a criação de empregos. Ele disse que irá tentar permitir que americanos de todas as idades peçam empréstimos de suas pensões de aposentadoria sem que tenham que pagar multas, eliminar os impostos sobre o seguro desemprego e duplicar, para US$50 bilhões, as garantias de empréstimos para as automotivas.

    Obama também pediu que o Tesouro e a Reserva Federal criem um mecanismo de empréstimo a cidades e Estados com problemas fiscais, além de ampliar as garantias do governo às instituições financeiras para que encorajem o retorno do empréstimo normal. Ele também propôs uma moratória de 90 dias sobre a maioria das desapropriações, que exigiria que as instituições financeiras aceitem a ajuda do governo e concordem em não agir contra os donos de imóveis que tentam manter seus pagamentos, mesmo que não no valor total.

    "Nós precisamos dar espaço e tempo às pessoas para que elas se recuperem", Obama disse a uma multidão de mais de 3,000 pessoas num discurso no Centro de Convenções SeaGate no centro de Toledo.

    "Eu não vou dizer que isso será fácil", ele disse. "George Bush nos colocou num buraco profundo. Será preciso algum tempo para sairmos dele. Mas iremos definir nossas prioridades como nunca fizemos".

    O pacote de novas propostas foi o mais detalhado e ambicioso de Obama desde que a crise financeira se tornou grave no mês passado, obscurecendo o panorama econômico e transformando a campanha presidencial. O rival republicano de Obama, o senador John McCain, fará novas propostas para a economia nesta terça-feira, afirmaram seus conselheiros. Eles não ofereceram detalhes sobre o assunto.

    No final do domingo, depois que McCain e sua equipe analisaram as inúmeras possibilidades políticas no final de semana, um porta-voz disse que McCain, que tem perdido terreno para Obama nas pesquisas, não teria uma nova proposta a menos que os eventos pedissem isso.
    McCain tem enfatizado seu plano de ajudar as pessoas em dificuldades financeiras a conseguirem hipotecas mais baratas, com os contribuintes pagando por isso.

    Esta cidade industrial representa tanto a crise econômica quanto a batalha política pelos Estados decisivos que podem determinar as eleições. Obama irá passar três dias no noroeste de Ohio, perto da capital, Detroit, cercado de conselheiros para se preparar para o terceiro e último debate presidencial que acontece na quarta-feira na Universidade Hofstra, em Hempstead, Nova York

    - JACKIE CALMES e JEFF ZELENY

      Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG