Obama desliza em promessa de campanha sobre projetos de lei

WASHINGTON - Durante a campanha presidencial, Barack Obama prometeu que depois que um projeto de lei fosse aprovado pelo Congresso, a Casa Branca iria publicá-lo na internet durante cinco dias antes que ele o assinasse.

The New York Times |

"Quando um projeto chegar à minha mesa como presidente, vocês do público terão cinco dias para encontrá-lo online e descobrir do que se trata antes que eu assine, para que saibam o que o governo tem feito", disse Obama como candidato, explicando como faria um governo mais transparente e responsável.

Cinco meses depois de sua posse, Obama já assinou duas dezenas de leis, mas quase nunca esperou os cinco dias. Em uma lei recente que controla os cartões de crédito, que incluía uma medida controversa que permitia armas em parques nacionais, ele esperou apenas dois.

A crítica sobre a promessa é como uma antiga frase de Woody Allen: "a comida estava péssima, mas não foi suficiente".

Inúmeros grupos de observadores acusaram Obama de não cumprir sua promessa. O Politifact.com , braço responsável pela verificação de dados do The St. Petersburg Times, batizou o fato de "promessa não cumprida". Ao mesmo tempo, muitos questionam o valor da promessa, dizendo que já seria tarde demais no processo para que algo pudesse ser modificado.

Agora, em reconhecimento de que a promessa de campanha foi mais fácil de fazer do que de cumprir, a Casa Branca está mudando seus termos. Ao invés de começar a contabilizar os cinco dias a partir de quando o Congresso aprovar o projeto, oficiais da gestão dizem que pretendem começar a contar antes e a publicar os projetos mais cedo.

Atualmente, depois que um projeto é aprovado no Congresso, a Casa Branca publica em seu site o link para a Biblioteca do Congresso. De agora em diante, a Casa Branca planeja linkar ao site mais cedo, apesar de não deixar claro quando.

Ellen S. Miller, diretora executiva da Fundação Sunlight, um grupo não-partidário dedicado à transparência governamental, disse que ainda que a promessa seja bem intencionada, ela não tem "significância" porque não mudaria nada e não há mecanismo nenhum para comentários públicos ou para dar início a um debate nacional.

Mais útil, segundo ela, seria que o Congresso publicasse os projetos no começo do processo, quando sua linguagem ainda tem que ser modificada. (O representante Brian N. Baird, apresentou um projeto na semana passada que diz que a Câmara tem que publicar projetos 72 horas antes do início do debate - uma medida parecida não foi adotada pelo Senado.)

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: congresso dos euaeuaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG