Obama defende sua escolha de veteranos para equipe da nova gestão

CHICAGO - O presidente eleito Barack Obama defendeu na quarta-feira sua decisão de escolher veteranos da gestão Clinton para posições na Asa Oeste, em seu gabinete e toda sua equipe, dizendo que os americanos teriam motivos para se preocupar caso ele negligenciasse a experiência simplesmente para criar uma imagem de mudança.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Obama, que construiu sua campanha em torno da mensagem de levar frescor a Washington, disse que seria negligente caso não recrutasse pessoas que aconselharam presidentes anteriores. Ele se agitou cada vez mais ao tentar negar a sugestão "de que existe uma reciclagem do pessoal da gestão Clinton".

"O que nós faremos será combinar experiência com pensamento inovador", disse Obama, em sua terceira coletiva de imprensa em três dias. "Mas entendam de onde vem a visão de mudança primordialmente: a mudança vem de mim".


Obama é acusado de "reciclar" equipe de Clinton / AP

Os comentários de Obama ofereceram o maior vislumbre de como ele está construindo sua equipe até agora, principalmente na economia e segurança nacional. Apesar de ter anunciado formalmente apenas um cargo de gabinete, ele deve revelar diversas outras opções em breve, e quase todos têm algum elo com a gestões Bush e Clinton.

"Eu suspeito que vocês ficariam preocupados e o povo americano ficaria preocupado se eu escolhesse um secretário do Tesouro ou um presidente do Conselho Econômico Nacional, em meio a uma crise, que não tivessem experiência alguma no governo", Obama disse a um repórter.

Para ecoar sua opinião, Obama anunciou a formação de um Conselho Assessor para a Recuperação Econômica, um painel de especialistas de negócios, trabalho, estudos e outros setores. Ele disse que irá modelar o grupo no conselho de inteligência estrangeira criado pelo presidente Dwight D. Eisenhower, no qual pessoas fora do governo podiam ser "mais cândidas e implacáveis em suas análises".

Ele indicou Paul A. Volcker, 81, ex-presidente do Federal Reserve, para liderar o conselho.

"Paul serviu tanto republicanos quanto democratas e tem grande estima por seu julgamento sábio e imparcial", disse Obama, com Volcker ao lado. "Ele não tende a nenhuma lado e parece justo em suas opiniões".

Obama disse que irá indicar outros membros para o conselho antes de assumir o cargo no dia 20 de janeiro. As aparições de Obama nesta semana buscavam demonstrar que ele está trabalhando para lidar com a crise econômica que abalou os mercados financeiros e a confiança do consumidor. Ainda que o Dow Jones tenha subido 247 pontos na quarta-feira, a quarta alta consecutiva, ele afirmou que a temporada de compras de Natal será um desafio para as famílias e lojas.

Por JEFF ZELENY

Leia mais sobre  Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG