Obama conduz reversão imediata da política de Bush

WASHINGTON ¿ O presidente Barack Obama irá direcionar reguladores federais, nesta segunda-feira, para agir rapidamente quanto ao pedido feito pela Califórnia e outros 13 Estados para determinar padrões mais rigorosos em relação a emissão de poluentes e a produtividade do combustível, de acordo com dois funcionários da administração.

The New York Times |

A diretriz faz bem em relação às promessas da campanha de Obama e significa uma reversão impetuosa da política da administração Bush. Concedendo à Califórnia e aos outros Estados o direito de regular as emissões do cano ejetor poderia ser uma das ações mais enfáticas que Obama poderia tomar para posicioná-lo rapidamente na política ambiental.

O presidente parou um pouco antes de começar a ordenar as agências que revertessem a política de Bush, mas eles estão amplamente esperançosos em fazê-lo.

Assim que agirem, os fabricantes de automóveis terão que se reequiparem imediatamente para começar uma produção e venda de carros e caminhões com uma quilometragem maior do que o padrão nacional e com um planejamento de fases mais rápido. As companhias automotivas têm lobby severos contra os regulamentos e os desafiam em tribunais.

Obama irá usar um anúncio para reforçar a impressão de um rompimento severo com a era Bush em todas as frentes, seguindo suas decisões na semana passada em fechar a prisão na Baía de Guantánamo, em Cuba; impor limites nos métodos de interrogação utilizados pelos oficiais da Agência Central de Inteligência (CIA); conduzir planos para retirar as tropas do Iraque; e reverter as restrições do apoio financeiro a grupos que apoiam ou realizam o aborto no exterior, disseram oficiais da administração.

Além de agir sobre as leis de emissões da Califórnia, de acordo com os oficiais, Obama anunciará que está seguindo adiante com leis reguladoras que exigem da indústria automotiva o aumento nos padrões de eficiência do combustível para cumprir uma lei de 2007 ¿ regras que a administração de Bush resolveu não discutir no último minuto.

Ele também direcionará os departamentos federais e agências para que encontrem novas formas de economizar energia e ser mais sustentável. E enfatizará os elementos em seu plano econômico que tem a intenção de criar novos empregos relativos à energia renovável.

Os avisos, que serão feitos na Sala Leste, iniciarão uma semana de esforços para conseguir o plano de estímulo econômico no Congresso. A Casa Branca espera que o Senado confirme Timothy F. Geithner como secretário do Tesouro, nesta segunda, e os planos de Obama em viajar para o Capitólio, nesta terça-feira, para encontrar o Senado e a Câmara dos Deputados é uma convenção partidária e um lobby para conseguir seu pacote financeiro. Os assistentes de Obama esperam que a Câmara vote na eleição para plano, nesta quarta-feira.

Mas o fato principal do anúncio antecipado nesta segunda-feira é a diretriz de Obama para a Agência de Proteção Ambiental que deve começar a trabalhar imediatamente na concessão da Califórnia, quanto à Lei do Ar Limpo, que permite o Estado, líder de longa data dos assuntos da qualidade do ar, em determinar padrões mais rigorosos para as emissões de poluentes de automóveis do que as regras nacionais.

A Califórnia já ganhou muitas concessões para o controle das emissões que causam poluição, se opondo ao aquecimento global.

A administração Bush negou a concessão no fim do ano 2007, dizendo que recentemente as leis federais de quilometragem tornaram a ação desnecessária e que permitir a Califórnia e 13 outros Estados o direito de decidir suas próprias regras de poluição resultaria em um trabalho de lei ambiental retalhado, impossível de ser administrado.

As companhias automotivas defenderam a recusa, dizendo que a concessão exigiria que eles produzissem dois tipos de veículos, um para obedecer ao padrão californiano e outro para ser vendido nos outros Estados.

O diretor da agência ambiental da administração Bush, Stephen L. Johnson, repetiu as afirmações dos fabricantes de automóveis recusando a aplicação Californiana, ignorando a advertência quase unânime das agências de advocacia e de cientistas de que a concessão deveria ser dada.

O governador da Califórnia, Arnold Shwarzenegger, republicano, escreveu para Obama na semana passada, pedindo-lhe para reconsiderar imediatamente a decisão de Bush.
A chefe da Air Resources Board da Califórnia, Mary D. Nichols, também escreveu para o novo diretor da agência ambiental, Lisa P. Jackson, pedindo uma reversão rápida da política de Bush.

Nichols disse neste domingo à noite que não foi formalmente informada de que Obama pretendia seguir adiante com a concessão. Mas, de acordo com ela, Por ser favorável ao nosso pedido, estamos satisfeitos de que o presidente esteja agindo rapidamente para reverter uma das piores decisões da administração Bush e para trazer a EPA de volta para seu caminho.

Jackson demonstrou em sua audição de confirmação, neste mês, que ela reveria rigorosamente" o pedido da Califórnia. A agência ambiental rotineiramente tem concedido à Califórnia dúzias de concessões nos últimos 40 anos.

A lei do Estado californiano, que originalmente começaria a agir no ano modelo de 2009, pede que os fabricantes cortem as emissões em quase um terço até 2016, quatro anos a frente do que a previsão federal. O resultado seria um aumento na eficiência do combustível no carro norte-americano para mais de um quinto de todos os gases estufas. Três outros Estados mostraram que pretendem adotar os padrões da Califórnia. Juntos eles somam quase metade do mercado de carros e luzes de caminhão do país.

Por JOHN M. BRODER e PETER BAKER

Leia mais sobre emissão de poluentes

    Leia tudo sobre: emissão de poluentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG