WASHINGTON - O presidente eleito Barack Obama encomendou seu primeiro smoking em 15 anos para sua posse. Além disso, ele convidou a banda da escola Punahou, onde estudou no Havaí, para marcar o ritmo da festa. (Quase 1.400 bandas se inscreveram, apenas algumas foram escolhidas).

Acordo Ortográfico

Os planos da posse de Obama no dia 20 de janeiro aos poucos tomam forma.

Mas com cada vez mais desempregados e soldados americanos envoltos em duas guerras, os planejadores da cerimônia enfrentam a tarefa de manter o tom respeitoso enquanto celebram a conquista de Obama.

"Não há dúvida sobre a dificuldade do momento", disse Linda Douglass, porta-voz do comitê de posse de Obama. "Mas nós esperamos que este seja um evento que celebre nossos valores comuns e nossas aspirações". Ela disse ainda que estão "em busca de um tom que seja esperançoso".

Obama formou seu comitê de posse recentemente, e ainda precisa estabelecer uma agenda para o dia ou revelar que eventos planeja para depois da cerimônia que acontecerá na face oeste do Capitólio.


Obama convidou a banda da escola para animar a posse / AP

Grande parte do dia é padronizado, mas os presidentes gostam de se apropriar dos detalhes, da escolha das bandas ao baile que será considerado oficial. Tudo será escolhido para este fim.

Entre as opções para que o evento deste ano reflita o humor da nação, segundo oficiais democratas, está a participação de Obama e do vice-presidente-eleito Joseph R. Biden Jr. em alguma espécie de serviço comunitário em Washington. Se eles fizerem isso, provavelmente pedirão que pessoas de todo o país façam o mesmo em suas cidades, o que pode ajudar a mitigar qualquer crítica em relação à celebração da posse.

A equipe de Obama tem sido consistente em seus eventos e pode usar como modelo o comício da noite da eleição no Grant Park em Chicago - uma reunião comemorativa, mas séria, que marcou por sua simplicidade, usada por Obama para gerar esperança, mas não muitas expectativas.

A posse do primeiro presidente negro será uma ocasião histórica e Washington espera a maior participação popular já registrada, que deve ser muito maior do que os 1,2 milhões que supostamente compareceram à cerimônia de Lyndon Johnson em 1965. Pela primeira vez, toda a avenida Mall será aberta para receber a multidão.

Por KATHARINE Q. SEELYE

Leia mais sobre Barack Obama

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.