Obama arrecada dinheiro para campanha de democratas

Presidente viaja pelo país para conseguir doações aos candidatos do partido

The New York Times |

Quando o presidente Barack Obama chegou em São Francisco, na terça-feira, para três eventos de arrecadação de dinheiro, ele havia vivido três dias em um e passado por inúmeros fusos horários diferentes do de Washington - encontrando-se com líderes de pequenas empresas e o presidente da Itália, debatendo com republicanos do Senado durante o almoço, fazendo planos para inspecionar o vazamento de petróleo na Costa do Golfo e ordenando o destacamento da Guarda Nacional na fronteira com o México.

Assistentes de Barbara Boxer, democrata liberal da Califórnia que é o principal alvo dos republicanos conforme busca um quarto mandato, haviam contactado os assessores de Obama desde o início do ano passado para conseguir que o presidente se comprometesse a pelo menos dois eventos de arrecadação de verba no sul e norte do Estado.

"No ano passado, nós não sabíamos se haveria uma visita ou quando", disse Rosa Kapolczynski, gerente de campanha de Boxer.

Para Boxer e outros democratas vulneráveis, isso mudou quando Obama venceu sua longa batalha pela reforma do sistema de saúde este ano. Agora ele está participando do circuito de arrecadações com maior frequência.

Tendo obtido verba recorde na sua campanha presidencial em 2008, graças ao apoio que conseguiu de pequenos e grandes contribuintes, Obama está testando se consegue fazer o mesmo por candidatos que apoia.

Ao mesmo tempo, seus conselheiros políticos evitam diluir a marca Obama e querem limitar o uso da lista de partidários do agora presidente, obtida através de uma campanha popular e que chega a mais de 13 milhões de pessoas.

Contando com os três eventos de arrecadação em São Francisco, que conseguiram US$ 600 mil para Boxer e US$ 1,1 milhões para o Comitê Democrata de Campanha Senatorial, ele foi a atração popular em um total de 19 eventos desse tipo.

Não é surpreendente, num ano de eleições, que ele esteja a caminho de ultrapassar os 28 eventos que realizou no ano passado, de acordo com números compilados por Mark Knoller, correspondente da Casa Branca para a CBS News.

O total de 47 eventos de arrecadação dos quais Obama participou desde que assumiu o cargo no meio de uma recessão somaram cerca de US$ 47 milhões para os democratas, disse Knoller, embora o partido não tenha revelado valores oficiais de três eventos do ano passado que beneficiaram candidatos ao Congresso e o candidato democrata ao governo da Virgínia.

Mesmo assim, o total seria menos que a metade dos US$ 110 milhões que George W. Bush havia arrecadado a esta altura de sua presidência.

As camadas populares estão menos dispostas a contribuir do que em 2008, fato que os democratas atribuem à desaceleração da economia, atrasos na conquista da reforma do sistema de saúde e o fato de Obama não ser candidato.

Com a dificuldade da participação de Obama, o vice-presidente Joe Biden tem sido um arrecadador favorito para os democratas. Em julho, Biden terá completado 90 eventos de arrecadação.

Por Jackie Calmes

    Leia tudo sobre: democrataseuapolíticabarack obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG