O café pode esperar, a primeira parada do dia é online

Karl e Dorsey Gude de East Lansing, Michigan, conseguem se lembrar de manhãs mais simples, há não muito tempo. Eles se sentavam juntos e conversaram ao tomar o café da manhã. Eles liam o jornal e competiam apenas com a televisão pela atenção de seus dois filhos adolescentes.

The New York Times |

NYT

Logo de manhã integrantes da família já atendem o celular
ou verificam e-mails em laptops ou blackberrys

Mas isso é coisa do século passado. Hoje, Karl Gude acorda por volta das 6h para conferir seu email do trabalho e sua conta no Facebook e no Twitter. Os dois meninos, Cole e Erik, começam cada manhã com mensagens de texto, videogames e Facebook.

A nova rotina rapidamente se tornou uma fonte de conflito na família, com Dorsey Gude reclamando que toda esta tecnologia está comendo o tempo familiar. Mas no final, até mesmo ela sucumbiu parcialmente, abrindo seu laptop depois do café-da-manhã.

"Coisas que há alguns anos eu achava inaceitáveis agora são comuns na minha casa", ela disse, "como os quatro de nós começando o dia em quatro computadores em quatro quartos separados."

Esta é a manhã nos EUA na era da internet. Depois de seis ou oito horas de privação da rede (também conhecida como sono) as pessoas cada vez mais acordam e correm para seus celulares e laptops.

"Antes você acordava, ia ao banheiro, talvez escovasse os dentes e pegasse o jornal", disse Naomi S. Baron, professora de linguística da Universidade Americana, que escreveu sobre a invasão da tecnologia na vida cotidiana. "Mas o que nós fazemos primeiro mudou dramaticamente. Eu sou a primeira a admitir: antes de tudo o que eu faço é verificar meu email."

Companhias de internet que costumavam ver o nível de tráfego aumentar somente depois que as pessoas se calçavam para ir ao trabalho, agora veem um ápice maior muito mais cedo.

NYT

Adultos e crianças buscam a tecnologia e acabam tendo menos tempo familiar

A Arbor Networks, uma companhia de Boston que analisa o uso de internet, diz que o tráfego da internet nos Estados Unidos tem um declínio gradativo entre meia-noite e cerca de 6h da manhã na Costa Leste, e então recebe uma grande dose de cafeína matutina por volta das 7h.

Algumas famílias tentaram fixar limites sobre o uso da internet durante as manhãs. James Steyer, fundador do Common Sense Media, um grupo sem fins lucrativos que lida com crianças e entretenimento, acorda todas as manhãs às 6h e passa a próxima hora em seu BlackBerry, gerenciando seu email.

Mas quando encontra sua mulher e seus quatro filhos, com idades entre 5 e 16 anos, na mesa do café da manhã, nenhum laptop e celular é permitido.

"Você tem que resistir ao impulso. Você tem que mudar do modo trabalho para o modo pai", ele disse. "Mas cumprir minha própria regra é muito difícil".



Leia mais sobre internet

    Leia tudo sobre: café da manhãcelularemailinternetlaptoptecnologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG