Número de americanos que vivem em barracas aumenta com a crise

FRESNO, Califórnia - Como gerente operacional do centro de ajuda aos sem-teto desta cidade, Paul Stack está acostumado a ver as pessoas perderem o que têm. Mas o que ele nunca viu antes está acontecendo agora, conforme as pessoas passaram a morar em tendas e barracas no terreno baldio diante do centro.

The New York Times |

NYT

Pessoas moram em barracas debaixo de ponte em Fresno, na Califórnia

"Elas apareceram há uns 18 meses", disse Stack. "Um dia o terreno estava vazio e no outro pessoas moravam nele".

Como inúmeras cidades do país, Fresno lida com um infeliz dejà vú: a chegada de acampamentos ilegais de pessoas sem-teto que lembram, em escala menor, os agrupamentos de barracos que tomaram conta do país durante a Depressão.

Ainda que os acampamentos ou mesmo morar nas ruas faça parte do cenário de grandes cidades como Los Angeles e Nova York, estas novas vilas de barracas firmaram raízes (ou cresceram de pequenos enclaves de pessoas sem-teto conforme mais pessoas perdem seus empregos e suas casas) em lugares tão dispares como Nashville, no Tennessee, Olympia, em Washington, e St. Petersburg, na Flórida.

O aumento no número de pessoas sem-teto em Fresno, uma cidade de 500 mil habitantes, é uma surpresa. Oficiais locais dizem que na cidade existem três grandes acampamentos perto do centro e outros menores ao longo das estradas. No total, cerca de 2 mil pessoas moram nestes locais, de acordo com Gregory Barfield, gerente de combate à falta de moradia, que disse que o uso de drogas, a prostituição e a violência são comuns nos acampamentos.

"Isso tudo faz parte da economia do submundo", disse Barfield. "Isso é o que acontece quando uma pessoa tenta sobreviver".

O crescimento dos acampamentos levou a cidade a posicionar banheiros químicos e policiais perto de um acampamento conhecido como New Jack City, batizado em homenagem a um filme sombrio de 1991. Mas isso apenas atraiu mais pessoas sem-teto. "Foi como um convite para que se mudassem para lá", disse Stack.

Ao norte de New Jack City está um acampamento mais tranquilo. Algumas vezes chamado de Taco Flats ou Little Tijuana, por causa da grande quantidade de moradores latinos.

Daniel Kent, 27, originalmente de Oregon, está morando em Taco Flats há três meses depois de ficar sem dinheiro durante uma viagem de carona na qual pretendia chegar até a Flórida. Ele conseguiu ganhar US$ 35 por dia segurando uma placa que dizia "Estamos Fechando" diante da loja Mervyn's até que ela realmente fechou.

Kent planeja participar de uma feira de trabalho em breve, mas não se importa de viver completamente a céu aberto.

"Nós temos veteranos aqui, pessoas com bom coração, orgulhosas de quem são", disse Kent. "Não importa qual seja sua situação, ela não mudará seu coração. Aqui nós temos boas pessoas, realmente boas".

Leia também:


Leia mais sobre crise econômica

    Leia tudo sobre: crise econômica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG