Novos modelos de carros elétricos devem chegar ao mercado em breve

FRANKFURT ¿ O carro elétrico está na linha de largada e ela está perto de ser dada. Agora, os fabricantes de automóveis devem provar que a tecnologia e o mercado estão prontos.

The New York Times |

Após anos de conversas e protótipos, alguns fabricantes acreditam que o veículo elétrico está perto de se tornar mais do que apenas um experimento da ciência. A companhia francesa Renault exibirá uma linha no salão de automóveis de Frankfurt, nesta semana, que inclui um sedan movido a eletricidade, sem nenhum motor reserva de combustão interna. A montadora diz que o veículo estará nos showrooms em 2011.

A General Motors, que recentemente pediu proteção contra falência, exibirá o Chevrolet Volt como um de seus lançamentos. O Volt é um veículo elétrico com um gerador reserva movido a gasolina, em caso de viagens mais longas.

A BMW exibirá a Vision Efficient Dynamics, um conceito de carro com um plugue elétrico, mas que pode ser movido a diesel. E a Volkswagen acrescentou uma versão elétrica em seu conceito de carro chamado Up.

Isso não é uma ilusão do futuro, disse Paulo Scott, vice-presidente e fundador do Plug In America, grupo que há muito tempo vem acusando fabricantes de automóveis de agirem pouco em relação aos carros elétricos. Essa é a realidade.

Ceticismo

Ainda assim, questões sobre a extensão limitada e os altos custos recaem sobre os veículos elétricos. Dois céticos proeminentes são a Audi, fabricante alemã de carros de luxo, e a Toyota, fabricante do Prius Hybrid. Essas companhias também estão desenvolvendo veículos completamente elétricos, mas por enquanto estão enfatizando outras tecnologias. A Audi está mais interessada nos motores movidos a diesel limpo, e a Toyota está trabalhando em um combustível a base de células de hidrogênio, tecnologia que evitaria a necessidade de baterias pesadas.

Outras companhias argumentam que a fascinação pública pelos carros elétricos pode se tornar lucrativas em breve.

Estamos convencidos de que, assim que colocarmos o carro na estrada e os consumidores puderem fazer o test-drive, transformaremos esse interesse em um mercado sustentável, disse Thierry Koskas, diretor do programa de veículos elétricos da Renault.

O rival francês da montadora, a PSA Peugeot Citroen, vendeu dez mil carros elétricos de 1995 a 2005, principalmente no modelo Peugeot 106, um carro compacto. Na Europa, a diminuição do interesse do consumidor e o período de falta de cádmio, ingrediente crucial em baterias de carro, acabaram com esse empreendimento de risco. Mas a Peugeot está de volta. Neste mês, a empresa assinou um acordo com a Mitsubishi para iniciar as vendas de carros elétricos na Europa até o fim de 2010.

Os veículos elétricos devem captar a imaginação do público da mesma forma que os híbridos ¿ sendo o Toyota Prius o mais importante ¿ tem feito nos últimos anos. Mas se a ambição pela introdução dos catálogos ceder aos atrasos, os fabricantes podem acabar alimentando o cinismo do consumidor.

Pode ser que algumas montadoras estejam despertando expectativas que não possam preencher em um prazo razoável, disse Willi Diez, diretor do Instituto de Pesquisa Automotivo em Nuertingen-Geislingen, próximo a Stuttgart.

Defensores dos motores tradicionais não cederam de forma alguma à novidade.

Em uma entrevista com Lawrence Ulrich, escritor de um blog sobre automóveis para o portal do MSN, Johan de Nysschen, presidente da Audi americana, argumentou que o preço base do Chevrolet Volt de US$ 40 mil, que a GM tem sugerido, é fantasioso ou, ao menos, um recurso insuficiente para aqueles mais comprometidos com o meio ambiente.

Ninguém irá pagar US$ 15 mil a mais por um carro que compete com os sedans convencionais, que custam cerca de US$ 25 mil, disse ele.

Sustentabilidade

No entanto, a Renault diz que seus carros são uma escolha racional para andar pela cidade. Não queremos que as pessoas comprem veículos elétricos porque estão na moda, disse Koskas.

Em Frankfurt, a Renault está introduzindo uma linha de carros movidos a eletricidade, sem variação adicional, o qual é um motor de combustão que se transforma em um gerador de eletricidade quando a carga da bateria está baixa (o Volt terá um motor a gasolina para carregar as baterias em viagens longas; no Prius, a faixa de extensão é um gerador de força a gasolina, paralelo ao elétrico).

Já que a maioria dos europeus dirige menos de 100 quilômetros por dia ou menos do que a carga total de uma bateria, a Renault diz que pode começar a vender os carros antes que uma infraestrutura elaborada para carregadores esteja pronta. Seus carros elétricos devem ter suas vendas iniciadas até 2011, em alguns países da Europa e possivelmente Ásia, mas não nos EUA, disse Koskas.

Quem paga

A Nissan, montadora japonesa que controla a Renault, está planejando introduzir o Leaf, um sedan elétrico, no Japão, na Europa e nos EUA, no fim de 2010 (a companhia compartilhará vários componentes com os veículos da Renault). E a montadora francesa não está divulgando os custos desses veículos.

Contudo, para os céticos como Nysschen, o apoio do governo aos veículos elétricos desequilibra o jogo. De acordo com ele, o Volt e outros modelos existem pela graça dos subsídios provenientes dos fundos do contribuinte.

A atratividade do Volt repousará, em parte, sobre a taxa de crédito do governo norte-americano, de US$ 7.500, para os compradores de veículos elétricos. E a França está oferecendo quase a mesma quantia.

Koskas argumenta que os subsídios deviam ser parte da fase inicial e ser retirados assim que uma escala fosse atingida. Não precisamos que eles durem para sempre, disse. Somos uma indústria que depende muito do volume.

De fato, alguns críticos estão restringindo suas apostas. A companhia de Nysschen, a Audi, criou um website, electricityuntamed.com, que faz uma contagem regressiva para a abertura do show de automóveis de Frankfurt, onde exibirá o protótipo de um carro elétrico. E a Toyota está exibindo seu Prius Plug-in, que tem previsão de lançamento completo em 2012.


Por CARTER DOUGHERTY


Leia mais sobre carro elétrico

    Leia tudo sobre: automóveiscarro elétricolançamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG