Nova York revê alegações de danos à saúde no Marco Zero

NOVA YORK - O primeiro exame médico detalhado dos cerca de 10,000 trabalhadores do Marco Zero que processam a cidade de Nova York e de seus empregadores sugere que muitos não estão doentes como seus advogados afirmam, revelaram os promotores da cidade.

The New York Times |

O relatório da cidade, baseado em informações médicas apresentadas à corte federal pelos trabalhadores e seus advogados, mostrou que até 30% deles apresentavam nada além de sintomas comuns como coriza e tosse. Seus registros, de acordo com o relatório, mostram que os médicos não haviam identificado nenhuma doença específica.

Na verdade, mais de 300 trabalhadores admitiram nos documentos jurídicos que não estavam doentes.

Os promotores da cidade, que realizaram o relatório em resposta a uma ordem judicial que solicitava a confirmação das alegações, também descobriram que muitos dos registros médicos eram contraditórios ou incompletos, tornando difícil determinar quando um sintoma começou e quanto tempo durou.

Os documentos incluem poucos registros de antes de 11 de setembro de 2001.

A cidade, enfrenta uma enorme responsabilidade financeira nesses processos, terá motivos para negar as petições de bombeiros, policiais, construtores e outros que dizem que se tornaram doentes por não terem recebido um equipamento respiratório adequado durante a operação de resgate e recuperação de nove meses no Marco Zero.

Por ANTHONY DePALMA

Leia mais sobre: Marco Zero

    Leia tudo sobre: marco zero

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG