Nova York decreta fim da era dos antigos parquímetros

Clássicos aparelhos que cobram pelo estacionamento dos automóveis nas ruas serão substituídos por uma nova versão

The New York Times |

O terror dos motoristas, um ímã para ladrões e imortalizado na música "Lovely Rita" dos Beatles, o parquímetro teve uma vida longa. Mas seus dias em Nova York estão contados.

A cidade irá remover o primeiro parquímetro de Manhattan na segunda-feira, segundo autoridades do transporte municipal, marcando o início do processo de um ano que eliminará todos os medidores da cidade.

NYT
Parquímetros que operam somente com moedas são substituídos em Nova York

Alguns dos postes onde ficavam permanecerão nas ruas de Manhattan, em áreas como o Upper West Side, como estacionamento para bicicletas, mas seus aparelhos alimentados por moedas serão removidos.

Um dispositivo elétrico silencioso pertencente à paisagem urbana, que se tornou um ícone de uma metrópole tomada pelos carros, o parquímetro completaria 60 anos no dia em que será extinto. A causa da morte, segundo as autoridades, foi um problema agudo de obsolescência.

O antigo medidor de estacionamento será substituído pelo Meter of Tomorrow: uma caixa alimentada por energia solar, equipada com Wi-Fi, que pode dar conta de oito espaços de estacionamento de uma vez e se deslisga automaticamente aos domingos.

O Departamento de Transportes da cidade, que recentemente acelerou seu programa de aposentadoria dos parquímetros, diz que a mudança vai beneficiar tanto a cidade quanto o cidadão: os novos contadores aceitam cartões de crédito, falam sete idiomas, exigem menos manutenção e liberam espaço nas calçadas.

Mas a morte do parquímetro clássico também significa o fim de alguns dos pequenos prazeres de Nova York: o barulho satisfatório de uma moeda caindo em seu sistema ou a emoção ilícita de perceber que ainda se tem alguns minutos extra na sua contagem regressiva.

"Estamos perdendo a versão 'motorista' de um bilhete premiado", disse Samuel I. Schwartz, um engenheiro de tráfego da cidade e ex-comissário de transporte.

"Parar numa vaga e descobrir que o parquímetro já foi pago por 30 minutos. Que alegria! Mesmo que fosse poupar apenas um centavo, de alguma forma, aquilo fazia o meu dia."

NYT
Um funcionário faz os últimos reparos nos novos parquímetros na oficina do Departamento de Transportes de Nova York

Os afeitos à nostalgia poderão comprar um parquímetro: a cidade planeja leiloar milhares deles no próximo ano.

O parquímetro fez sua estréia em Manhattan no dia 19 de setembro de 1951, em uma cerimônia formal no Harlem, que atraiu o boxeador Sugar Ray Robinson. "É apenas uma outra maneira de arrancar dinheiro das pessoas", comentou o campeão na época.

Na segunda-feira, a poucos quarteirões do local histórico do primeiro parquímetro, o medidor de número 101-0655 será retirado do Boulevard Frederick Douglass, ao norte da Rua 125. Lá, um novo medidor moderno já foi instalado.

"Eu acho que eles são bonitos", disse Janette Sadik-Khan, a comissária de transportes, sobre os novos dispositivos, que dispõem de telas digitais e botões coloridos. Ela riu: "Quero dizer, talvez eu seja apenas uma especialista em transportes, mas eu acho que eles são elegantes."

Mesmo depois que Manhattan perder seus parquímetros, cerca de 43 mil deles poderão ser encontrados em outros bairros da cidade. A cidade vai gastar US$ 34 milhões para instalar o novo parquímetro digital, que custa US$ 4.392 cada, ou cerca de oito vezes mais do que seus antecessores.

Por Michael M. Grynbaum

    Leia tudo sobre: parquímetronova yorkeuaestacionamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG