Nova missão para Petraeus: fazer seu próprio plano funcionar

Indicado para comandar soldados dos EUA e da Otan no país asiático, David Petraeus terá audiência de confirmação na terça-feira

The New York Times |

No final de 2008, pouco depois de ter ajudado a resgatar um Iraque à beira da catástrofe, o general David H. Petraeus se preparou para lidar com a outra guerra americana. "Eu sempre disse que o Afeganistão seria uma guerra mais difícil", disse Petraeus na época.

Getty Images
General David H. Petraeus discursa para militares em Washington (out/2009)

Agora, o fardo está sobre os seus ombros , em um momento decisivo na campanha do presidente Barack Obama para reverter a deterioração da situação no país e retomar o dinamismo dessa guerra de nove anos.

De muitas maneiras, Petraeus está sendo convocado ao Afeganistão em um momento semelhante ao que enfrentou há três anos no Iraque, quando a situação parecia sem esperança tanto para um número crescente de americanos quanto para seus representantes eleitos.

Mas há uma diferença crucial: no Iraque, Petraeus foi chamado para reverter uma estratégia fracassada colocada em prática pelos comandantes anteriores. No Afeganistão, Petraeus foi fundamental no desenvolvimento e execução da estratégia em parceria com o general Stanley A. McChrystal, que a colocou em prática no país.

Agora Petraeus será diretamente responsável por seu sucesso ou fracasso, pondo em risco a reputação que construiu no Iraque.

Petraeus, de 57 anos, traz um extraordinário conjunto de habilidades para o seu novo trabalho: um charme de escoteiro, uma inteligência penetrante e uma vontade feroz de obter sucesso. Para prevalecer no Afeganistão, Petraeus irá precisar de todas as suas habilidades - e uma dose de boa sorte, pelo menos tão grande quanto aquela que teve no Iraque.

No momento, todos os aspectos da guerra no Afeganistão estão ruins: a campanha militar na estratégica cidade de Kandahar encontrou ampla resistência do público afegão, o presidente Hamid Karzai está se provando errático e imprevisível e o Taleban está resistindo mais tenazmente do que nunca.

Mas talvez o maior desafio de Petraeus seja unificar uma equipe de oficiais de alto escalão que têm visões acentuadamente diferentes de como a guerra no Afeganistão deve ser combatida.

Petraeus irá assumir o comando da campanha do Afeganistão no sexto mês de uma estratégia de 18 meses, que terá quase certamente que obter progresso para que Obama continue no cargo. Mesmo antes disso, em dezembro, Obama e seus assessores vão realizar uma "avaliação estratégica" que servirá como um relatório de progressos importantes.

Depois disso, ninguém sabe o que Obama fará. Alguns membros da equipe de McChrystal não estavam tão otimistas.

Quando um repórter sugeriu recentemente a um oficial de alto escalão dos Estados Unidos que ele poderia, no final, não ter tempo suficiente, ele não hesitou em responder:

"Eu acho que você pode estar certo", disse.

* Por ALISSA J. RUBIN e DEXTER FILKINS

    Leia tudo sobre: Estados UnidosAfeganistãoMcChrystalDavid Petraeus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG