Nova Délhi usa rede social para rastrear motoristas infratores

Polícia emite multas com base em denúncias e fotos publicadas pela população em uma página do Facebook

The New York Times |

Nova Délhi é famosa por seu tráfego barulhento e por seus motoristas indisciplinados: infratores agressivos que passam no farol vermelho, ignoram faixas de cruzamento para pedestres e usam faixas de bicicletas ou de ônibus.

Agora, os sobrecarregados agentes do tráfego da cidade passaram a usar uma arma inesperada no combate à direção perigosa: o Facebook.

Há dois meses a polícia criou uma página no Facebook e, quase imediatamente, os moradores se tornaram informantes digitais, publicando fotos de outros motoristas violando as leis do trânsito. Até domingo, a página tinha mais de 17 mil participantes e quase 3 mil fotografias e dezenas de vídeos publicados.

The New York Times
Foto de agosto de 2009 mostra trânsito em estrada de Nova Délhi

As imagens de denúncia são impressionantes. Há fotos de pessoas em motocicletas sem capacetes, carros parados sobre faixas de pedestre, motoristas ao celular ou fazendo conversões proibidas, além de veículos estacionados indevidamente.

Com base nas imagens, a Polícia Rodoviária emitiu 665 multas, usando os números das placas mostradas nas imagens para rastear os proprietários dos veículos, disse o comissário de tráfego Satyendra Garg.

Segundo ele, apesar de algumas preocupações a respeito da privacidade e da autenticidade das fotos, a resposta do público tem sido extremamente positiva.

Garg explicou que a página no Facebook nunca instruiu as pessoas a tirar fotos dos motoristas infratores. "Queríamos um fórum onde as pessoas pudessem expressar seus pontos de vista e sugerir mudanças", ele explicou na sexta-feira.

Com apenas 5 mil agentes de trânsito em uma cidade de 12 milhões de pessoas, a rede social está adotando um papel útil, ele disse. "A polícia de trânsito não pode estar presente em todos os lugares, mas as regras são sempre quebradas", afirmou Garg. "Se as pessoas querem relatar o que acontece, nós estamos abertos a receber essa informação. Uma infração é uma infração".

Garg reconheceu que é possível que as fotos sejam manipuladas para incriminar alguém que não estava realmente infringindo a lei. Mas, segundo ele, os motoristas podem contestar as multas caso acreditem que foram emitidas indevidamente.

As autoridades aceitaram os informantes do Facebook em parte por causa dos perigos da direção tão onipresentes na Índia.

A Índia tem mais fatalidades no tráfego do que qualquer outro país do mundo e o número de novos motoristas inexperientes tem subido nos últimos anos, conforme a classe média indiana cresce. O sistema de estradas e os policiais são mal equipados para lidar com este crescimento.

A Polícia Rodoviária de Délhi agora tem uma equipe de quatro agentes dedicada a monitorar a página no Facebook, afirmou Garg.

Além de analisar possíveis infrações, eles também publicam informações sobre estradas fechadas e engarrafamentos, respondem a sugestões e perguntas sobre o tráfego.

Serviços de redes sociais estão desempenhando um papel cada vez maior nos processos judiciais e de aplicação da lei, mas o uso do Facebook feito pela Polícia Rodoviária  parece ser único.

Por Heather Timmons

    Leia tudo sobre: índiatrânsitoredes sociaisfacebooknova délhi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG