Nos EUA, casas de bonecas para crianças podem ter preço de adulto

Mesmo com economia em crise, americanos gastam milhares de dólares em espaço para filhos brincarem

The New York Times |

NYT
Sinclair Schiller, 4 anos, brinca com a mãe, Kristi, em casa de bonceas que custou US$ 50 mil
Além do open bar à beira da piscina, a principal atração em festas realizadas na casa de John Schiller, um executivo de companhia petrolífera, e sua mulher, Kristi, uma modelo da Playboy que virou blogueira, é a casa de brinquedo de US$ 50 mil (cerca de R$ 77,7 mil) que o casal mandou fazer há dois anos para sua filha, Sinclair, agora com 4 anos de idade.

Com coquetéis nas mãos, os hóspedes se abaixam para entrar pela porta de menos de um metro. Lá dentro, eles poderiam ser perdoados por sentir como se tivessem caído no buraco do coelho da Alice.

Construída no mesmo estilo da casa da família, a casa de bonecas de dois andares tem 17 metros quadrados e tetos abobadados que vão de 1 a 3 metros de altura, móveis reduzidos a dois terços do tamanho normal, pisos de madeira e uma lareira falsa adornada com um mosaico fantástico.

A pia de aço inoxidável na cozinha tem água corrente e o mini-frigorífico e freezer também em aço inoxidável estão estocados com caixas de suco e picolés. No andar de cima fica uma área de estar com um sofá em tamanho infantil e cadeiras para assistir DVDs na TV de 32 polegadas de tela plana. As janelas, que abrem normalmente, têm telas para impedir a entrada de mosquitos, e são enfeitadas por begônias nos parapeitos. Claro que tudo isso inclui ar-condicionado. Afinal, o Texas é assim.
"Eu penso nisso como um acessório para o quintal", disse Kristi Schiller, 40.

Algumas pessoas podem achar "ofensivo" que uma criança tenha uma casa de bonecas mais cara e confortável do que algumas casas reais, admitiu Kristi. Mas para ela isso é uma extensão da casa da família. "Minha filha a adora", disse ela.

Mesmo em uma economia conturbada, aparentemente alguns pais ricos estão dispostos a gastar significativas (se não alarmantes) somas de dinheiro em casas de bonecas que também funcionam como uma espécie de instalação de arte em seu quintal.

Há uma série de empresas e artesãos independentes que constroem casas de boneca que podem custar até US$ 200 mil (R$ 310 mil) e vêm em uma variedade de estilos, incluindo réplicas de casas reais, como a dos Schillers, e outras criações mais fantásticas como navios pirata, casas em árvores e casas de conto de fadas. Muitos destes fabricantes informam que apesar da crise econômica, eles continuam ocupados.

Barbara Butler, uma artista e construtora de casas de boneca de São Francisco, disse que suas vendas aumentaram até 40% este ano, e ela tem o dobro de solicitações para o futuro do que nesta mesma época no ano passado. Além disso, o preço médio das estruturas que ela está sendo contratada para construir mais do que dobrou, de US$ 26 mil para US$ 54 mil (de R$ 40 mil a R$ 83 mil).

"A infância é uma coisa preciosa e finita", disse Butler. "Uma casa de bonecas especial não é o tipo de coisa que você pode adiar até que a economia fique melhor”.

Da mesma forma, Glen Halliday, que tem uma empresa que constrói casas para crianças em Portland, Maine, disse que tem visto um aumento de 15% anualmente nos lucros mesmo durante a recessão.

"Temos sido ajudados pela crescente preocupação com a obesidade infantil e a necessidade de brincadeiras mais ativas", disse ele. Os negócios tem crescido tão rapidamente que a sua empresa, a Kids Crooked House, recentemente expandiu de um galpão de 100 metros quadrados para um armazém de 300 metros quadrados.

E para aqueles no mercado de casas de boneca, esta é a melhor época.

"Recebemos um grande número de pedidos nesta época do ano, quando o tempo fica mais quente e as pessoas querem ajudar os seus filhos a brincar no quintal", disse Patty Toner, vice-presidente de vendas da Lilliput, em Finleyville, Pensilvânia, uma empresa que vende casas de boneca entre US$ 4 mil e US$ 50 mil (R$ 6,2 mil a R$ 77,7 mil), dependendo do estilo e grau de personalização. Entre as mais vendidas estão uma casa de dois andares em estilo colonial com varanda e alpendre com colunas, e um castelo medieval em miniatura, com torres e passagens secretas.

Tais casas tão arquitetonicamente sofisticadas são geralmente feitas sob encomenda seguindo as especificações dos pais, ou pré-fabricadas e enviadas em partes para montagem pelos próprios pais ou trabalhadores contratados especialmente para isso.

Heather Hach Hearne, uma roteirista de Los Angeles, disse que ela e seu marido, Jason, um diretor de filmes de animação, chamaram um homem para montar a casa que eles compraram no ano passado da Kids Crooked House, que fabrica estruturas caprichosamente tortas que se assemelham a edifícios de desenho animado. A casa de 2 por 3 metros em roxo que eles compraram custa cerca de US$ 2.450 (R$ 3,8 mil).

"Não queria algo revoltantemente caro, mas não queria nada patético também", disse Hearne, 40, que comprou a casa para sua filha de 4 anos, Harper, e seu filho de um ano, Drake.

Ela gostou do fato de a casa ser intencionalmente diferente e torta. "A casa ia ficar no quintal e passaria a fazer parte da paisagem", disse ela. "Eu queria algo um pouco diferente, que não fosse uma chatice total".

Para mobiliar a casa, Hearne comprou uma pequena mesa, cadeiras e um candelabro púrpura, e contratou um homem para levar a eletricidade até a casa, consumindo energia da garagem. Ela também pediu que ele instalasse um piso de azulejos falsos de 99 centavos no chão. "Eu queria algo parecido com um chão de pedra de castelo", explicou ela.

"Minha filha gosta de brincar e desenhar na casa", disse ela. "Meu filho, neste momento, pensa que é divertido apenas rastejar para dentro e para fora".

Dan Burnham, que se aposentou como presidente e diretor executivo da Raytheon, fabricante de sistemas de defesa, em 2003, queria algo elaborado para a casa que divide com sua esposa, Meg, nas Montanhas de Santa Ynez perto de Santa Barbara, na Califórnia. Então ele contratou a Butler de São Francisco para criar uma estrutura específica para o local.

NYT
Sinclair Schiller brinca na cozinha de sua casa de bonecas
"Eu queria que os netos tivessem outra razão para nos visitar", disse Burnham, 64. "Além disso, queria ser capaz de ir até lá no domingo de manhã e ler a The New York Times Magazine".

A casa de vários andares construída pela Butler em 2007 incorpora três árvores em seu complexo projeto, que inclui um alçapão, um balanço, uma ponte de extensão e escadas sinuosas. Ela também tem um telhado de zinco ondulado, um interior cheio de vigas e janelas feitas de resistente vidro laminado. Ligada à casa da árvore fica uma segunda estrutura que parece um forte, com florões esculpidos e mastros, assim como uma parede de pedra, um poste de bombeiros e um escorregador.

"Colocamos cadeiras ao redor dela, para que possamos assistir as crianças correrem, subirem e gritarem", disse ele. "É adorável e valeu cada centavo". Ele gastou cerca de US$ 248 mil (R$ 385 mil) nas duas estruturas.

Ele ainda não usou a casa para ler suas revistas.

Para aqueles que preferem casas com estética moderna, a Smart Playhouse, uma empresa de Barcelona, oferece criações que lembram o trabalho de arquitetos famosos. O modelo Illinois (US$ 12.485, incluindo a iluminação interior) se parece com o tipo de casa que um pequeno Mies van der Rohe poderia ter colocado em seu quintal.

A empresa foi fundada no ano passado por David Lamolla Kristiansen, um arquiteto dinamarquês que defende que as casas de boneca devem ser mais do que apenas um lugar para as crianças brincarem – elas também devem servir como "uma peça decorativa” para a casa dos pais.

Mas acrescentar uma peça decorativa ao lar de família pode exigir uma licença de construção ou de adesão a códigos de construção, dependendo de quão grande e decorativa ela for e de onde será construída.

Alan Mowrer, o proprietário da La Petite Maison, de Denver, construiu a casa dos Schillers em Houston, assim como uma outra casa extravagante no rancho do casal em Millican, Texas. Ele constrói cerca de 12 casas como estas por ano para clientes de todo o país e cobra de US$ 9 mil a US$ 75 mil (R$ 13,9 mil a R$ 116 mil).

"Em Los Angeles, qualquer coisa acima de 2 por 2 precisa de uma base", disse Mowrer. "Mas se você construir no meio de Missouri, pode fazer quase tudo o que quiser".

No início deste ano, Katie Lagana, 37, e Mateus Aubin, 36, um casal em Milford, Connecticut, compraram uma casa amarela para sua filha de 6 anos, Penny, e seu filho de 5 anos, Oliver. Eles gastaram US$ 3.400 (R$ 5,2 mil) nela – um valor considerável para Lagana, que trabalha como diretora de marketing de uma editora, e Aubin, um pai que fica em casa.

Mas a diversão das crianças, disse Lagana, não tem preço.

"É o centro da atividade e a atração principal quando eles convidam colegas para vir em casa", disse ela. "Eles fingem fazer tortas e abrem uma clínica veterinária com todos os animais de pelúcia”.

Como muitos pais que compram casas de bonecas, seja qual for o preço, Lagana disse que seu objetivo era inspirar seus filhos a brincar no quintal e fomentar a sua criatividade. "Quando jogam um videogame, as crianças fazem o que ele lhes diz para fazer", disse ela. "Uma casa de bonecas os obriga a usar sua imaginação."

Por Kate Murphy

    Leia tudo sobre: casa de bonecascriançaseuacriseeconomia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG