No campus, eleitores que votam pela primeira vez contam os dias

STATE COLLEGE ¿ Hora do almoço de um domingo, em uma cidade universitária. Sabe-se o que acontece. Alguns estudantes apreciam sanduíches, vestindo a parte de baixo de seus pijamas com uma blusa de moletom. Outros se ocupam com seus iPods em vez de estudarem. Mas fale sobre a corrida presidencial entre esses eleitores de primeira viagem e surge a empolgação.

The New York Times |


Contagem regressiva para eleições/Foto: New York Times

É um dos meus direitos, disse Gabrielle Bedeian, caloura da Universidade do Estado da Pensilvânia (Penn State), que veio da região metropolitana da Filadélfia. Para mim, foi o primeiro que me veio à cabeça assim que fiz 18 anos.

Há tanta informação lá fora e tão pouco tempo restando; somente algo muito grande mudaria minha cabeça, disse Tiernan Milliman, 18, também da Filadélfia. As políticas econômicas são realmente importantes para mim. Isso provavelmente não seria o principal assunto para mim há três semanas, mas agora eu só penso nisso.

Muito é falado sobre o eleitor jovem a cada ano e muito é esquecido, uma vez que a participação de eleitores jovens nas eleições acaba sendo ofuscada pela participação muito maior de americanos mais velhos. Mas os balanços demográficos dos últimos anos ¿ a população de 18 a 24 anos aumentou de 27 milhões em 2000, para quase 30 milhões em 2006, de acordo com os números do censo ¿ tornaram os eleitores jovens um grupo cobiçado. Especialmente no balanço deste Estado, com muitas instituições de ensino superior.

O senador Barack Obama foi eficiente em cativar os jovens pelo país nas eleições primárias dos democratas. Em março, milhares apareceram no comício de Obama realizado no campus da Universidade da Pensilvânia.

Dos cerca de 8,6 milhões de eleitores registrados na Pensilvânia, 10% tem entre 18 e 24 anos, segundo os números do Estado. Nas eleições preliminares dos democratas, os eleitores jovens formam 14% daqueles que votaram, segundo o futuremajority.com, um blog esquerdista que acompanha o envolvimento político dos jovens.

Obama tem uma liderança de dois dígitos nas últimas pesquisas na Pensilvânia e a Penn State parece um microcosmo do resto do Estado. Obama tem peso aqui, disse Josh Rea, 31, que é residente local há muito tempo e trabalha como cozinheiro no campus. Toda a mensagem de mudança funciona bem por aqui. Os jovens querem algo diferente porque as coisas com as quais cresceram não foram tão boas assim.

Contudo, a dinâmica regional do Estado, na qual o candidato republicano, senador John McCain, tem melhor desempenho em regiões rurais, enquanto Obama lidera em áreas urbanas, também se reflete nos estudantes.

Obama definitivamente é favorito entre pessoas da Filadélfia e de Pittsburgh, disse Spenser Shumaker, de Harrisburg, um leal fã de Ron Paul. Mas meu colega de quarto é de Scranton e muito conservador.    

Amanda Michin, 19, concentrada em seu laptop em uma mesa ao ar livre, disse que está indecisa, mas se sente pressionada no campus. É meio difícil por aqui, disse Michin. As pessoas têm ponto de vista forte.

Minoria republicana

Os pais e a educação são um papel importante em como os estudantes formam suas opiniões.

Sou um grande republicano, disse Drew Brenna, 20, que se sentou ao ar livre no domingo, também com seu laptop. Sou de uma região luxuosa de Nova Jersey, então essa é mais ou menos a vibração aqui.

Mesmo assim, Brenna não parece ter muita companhia.

Há um grupo conservador no campus, os Jovens Americanos pela Liberdade (Young Americans for Freedom), que foi fechado no domingo. Um cartaz na porta dizia: Número de pessoas no discurso de Ann Coulter: 1.200. Número de pessoas na fila para terem seus livros autografados: 200 (ou mais). Número de membros ativos do Y.A.F.: 12.

O cenário era diferente no centro regional de operações do Condado de Centre, na rua logo acima do campus. Estudantes do ensino superior ¿ ao lado de apoiadores mais velhos ¿ colocaram broches, telefonaram para eleitores e fizeram cartazes.

Temos aqui de 300 a 400 jovens por semana, disse Zachary Zabel, presidente do Penn State Students for Barack Obama (Estudantes da Penn State que apoiam Barack Obama). Todos nós sentimos que este é o campus mais importante do país.

O grupo de Zabel trabalha para registrar novos eleitores e encontrar jovens eleitores indecisos para tentar influenciá-los. Pensar sobre como John McCain diz que os princípios da economia são fortes deve preocupá-los, ele disse.

Seu grupo também pesquisa a opinião de eleitores mais velhos nas áreas rurais ao redor. Todos nós encontramos certa hostilidade, Zabel disse. Mas as coisas melhoraram em todos os lugares nos últimos meses. Acho que é a economia.

Por JENNIFER STEINHAUER

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG