Natal de cidade americana volta a ter 'ovo falante'

Loja de New Windsor, no Estado de Nova York, recria tradicional atração natalina quase tão famosa quanto o Papai Noel

The New York Times |

Alexandria Krol, 5 anos, arregalou os olhos enquanto caminhava na escuridão em direção ao ovo de aparência estranha.

O ovo tinha uma coroa e estava em um grande trono. Ele sabia o nome dela, contou uma piada e pediu-lhe para posar para uma foto ao seu lado. Parecia uma cena de "Alice no País das Maravilhas".
Em seguida, o ovo disse: "Será que sua mãe costumava visitar Eggbert quando ela tinha a sua idade?"

A mãe, Jill Handzel, 35 anos, riu. É claro que sim. Ela cresceu em Newburgh, Nova York, ao norte de New Windsor, onde o ovo está localizado. "Todo mundo daqui cresceu visitando o Eggbert na época do Natal", disse Handzel.

NYT
Criança observa o Eggbert, ovo falante que é tradição de Natal em New Windsor, Nova York

Durante décadas, muitas crianças desta região do Vale do Hudson não quiseram saber do colo do Papai Noel, favorecendo o ovo falante batizado de Eggbert, que ficava à exposição no berçário e loja de departamento Devitt, na Rota 32. Eggbert sempre pareceu lembrar seus nomes.

Na verdade, Eggbert é um ovo de resina com olhos e os lábios que se movem mecanicamente. Ele foi criado pelo proprietário de longa data do berçário, Jack Devitt, e perdurou como alvo de muita admiração por três décadas, uma daquelas encantadoras tradições de pequenas cidades americanas que parecem imunes ao tédio.

Devitt, em seguida, vendeu a seção de varejo do seu estabelecimento, onde Eggbert era tradicionalmente exibido. Destituído depois do Natal de 1999, Eggbert permaneceu guardado durante a última década.

Mas agora foi anunciado: Eggbert está de volta este ano. A Devitt o ressuscitou para a temporada de festas.

Para Jane Montano, de Middletown, Nova York, a notícia se materializou depois que ela levou sua neta Lilah para conhecer Eggbert na tarde de domingo. Montano veio com as filhas, Megan Davis e Jane Marie Davis, que tinham visitado Eggbert quando crianças e agora traziam seus próprios filhos para dar continuidade à tradição. "Eles são a segunda geração de fãs de Eggbert", disse Montano.

Quanto à voz do misterioso ovo falante, na verdade ele é equipado com um microfone, um alto-falante e um empregado da Devitt atrás de um vidro nas proximidades. As crianças recebem adesivos com seus nomes na entrada, quando os pais pagam a taxa de entrada de US$ 2.

A Devitt originalmente comprou o ovo da Universidade Cornell, onde ele tinha sido utilizado para promover a indústria de ovos. Ele se tornou a peça central da sua atração "Natal na Fazenda", que supostamente começou depois que o proprietário passou a emprestar animais de um fazendeiro local para ajudar a aquecer uma estufa.

Por Corey Kilgannon

    Leia tudo sobre: nataleua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG