Nas Coreias, inundações carregam minas terrestres

Minas da Coreia do Norte levadas pelas chuvas às praias sul-coreanas aumentam desconfiança entre os países

The New York Times |

Dezenas de minas terrestres da Coreia do Norte, soltas pelas fortes chuvas que assolaram o país, foram parar em margens e praias sul-coreanas perto da fronteira, apresentando uma nova ameaça para moradores da região, que já desconfiam das surpresas e motivações do país vizinho.

Um homem da cidade de Yeoncheon, na fronteira sul-coreana, a nordeste de Seul, foi morto no sábado quando uma das duas minas que havia recolhido de um córrego explodiu, segundo o Ministério da Defesa. Um amigo ficou gravemente ferido e foi hospitalizado.

O susto acontece em meio a um reforço da vigilância contra a Coreia do Norte, após o naufrágio de um navio de guerra sul-coreano em águas fronteiriças em março, que acredita-se ter sido causado por um torpedo de ataque norte-coreano. No domingo, a Coreia do Sul enviou uma mensagem pedindo que a Coreia do Norte impeça que suas minas terrestres sejam levadas a território do Sul, informou o Ministério da Defesa em um comunicado.

© AP
Soldados sul-coreanos procuram minas terrestres em local próximo à fronteira entre as Coreias

As autoridades também distribuíram panfletos, que continham fotos das minas norte-coreanas, alertando as pessoas que vivem perto da fronteira para que não toquem objetos que se pareçam com elas. Nas cidades e ilhas próximas à Coreia do Norte, oficiais usam megafones para pedir que moradores e veranistas não entrem em córregos e praias.

Soldados realizaram buscas por minas nos leitos dos rios onde as enchentes têm desaguado. Desde sexta-feira, eles encontraram 35 de minas terrestres. Os objetos, construídos em caixas de madeira, foram projetados para explodir quando pressionadas ou abertas.

"As minas foram, aparentemente, trazidas da Coreia do Norte por chuvas torrenciais", disse um oficial do Gabinete do Joint Chiefs of Staff (grupo de lideranças militares que aconselham o presidente), que falou sob condição de anonimato. Ele afirmou que os pinos de segurança de algumas minas encontradas não haviam sido removidos, indicando que elas estavam armazenadas quando foram arrastadas pelas enchentes.

As fortes chuvas foram registradas ao norte da fronteira nas últimas semanas. A Coreia do Norte, onde a maioria das montanhas foi desmatada, é vulnerável a deslizamentos e inundações. Corpos de norte-coreanos são ocasionalmente encontrados no Sul depois de chuvas fortes.

A Zona Desmilitarizada que divide as duas Coreias, e a região imediatamente adjacente em ambos os lados, contêm minas terrestres para proteção contra a infiltração de soldados. Na Coreia do Sul, em aldeias perto da fronteira, não é incomum encontrar agricultores que perderam braços ou pernas por pisar em minas.

Mas poucos civis sul-coreanos foram mortos por minas terrestres norte-coreanas nos anos pós-guerra da Coreia.

Após o naufrágio do navio, os sul-coreanos permanecem cautelosos em relação ao Norte, que tem uma história de imprevisibilidade. Em setembro do ano passado, o país surpreendeu os sul-coreanos liberando a água de uma de suas barragens sem aviso prévio, causando a inundação de toda a fronteira. Seis sul-coreanos morreram afogados.

A Coreia do Norte recentemente soltou a água de represas de um rio que flui para a Coreia do Sul, mas notificou o Sul com antecedência, dando-lhe tempo para evacuar visitantes e moradores da região.

Por Choe Sang-Hun

    Leia tudo sobre: coreia do sulcoreia do norteásiaminas terrestres

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG