44º presidente dos Estados Unidos na terça-feira e prometeu retomar o trabalho de reconstrução da América em um dia de comemoração que representou o auge da jornada de um homem e de seu país." / 44º presidente dos Estados Unidos na terça-feira e prometeu retomar o trabalho de reconstrução da América em um dia de comemoração que representou o auge da jornada de um homem e de seu país." /

Nação em crise recebe novo presidente de braços abertos

WASHINGTON - Barack Hussein Obama foi conclamado o http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/01/20/desafios+sao+grandes+mas+serao+vencidos+diz+obama+em+discurso+de+posse+3487943.html target=_top44º presidente dos Estados Unidos na terça-feira e prometeu retomar o trabalho de reconstrução da América em um dia de comemoração que representou o auge da jornada de um homem e de seu país.

The New York Times |

Obama, filho de um homem negro do Quênia e uma mulher branca do Estado de Kansas, herdou uma Casa Branca construída em parte por escravos e uma nação em crise doméstica e internacional. O momento capturou a imaginação de grande parte do mundo, quando mais de um milhão de pessoas com bandeiras nas mãos testemunharam o juramento de Obama com sua mão sobre a bíblia que Abraham Lincoln usou em sua posse há 148 anos.

Além da política da ocasião, a visão de um homem negro chegando ao posto mais alto do país emocionou pessoas de todas as raças, gerações e partidos. Obama deixou a cargo dos outros o reconhecimento explícito da importância histórica do momento, fazendo apenas algumas referências a seu papel no rompimento de barreiras ao longo de seu discurso de posse, notando quão improvável poderia ser que "um homem cujo pai a menos de 60 anos não teria sido servido em um restaurante local possa estar diante de vocês para fazer o mais sagrado de todos os juramentos".

Mas confrontado pela pior situação econômica em décadas, duas guerras no exterior e a contínua ameaça do terrorismo islâmico, Obama moderou a comemoração com uma desagradável avaliação do estado de uma nação atingida pelas desapropriações de imóveis, falências de negócios, perda de empregos, encarecimento do sistema de saúde, enfraquecimento das escolas, dependência da energia estrangeira e ameaça da mudança climática. Dando sinais de um rompimento imediato e total com as políticas da presidência de George W. Bush, ele prometeu acelerar uma "nova era de responsabilidade" e restaurar os ideais americanos manchados.

"Hoje, eu digo a vocês que os desafios que enfrentamos são reais", disse Obama em seu discurso, realizado na face oeste do Capitólio. "Eles são sérios e são muitos. Eles não serão sobrepujados com facilidade ou em um curto período de tempo. Mas saiba disso, América: eles serão sobrepujados".


Obama faz o juramento diante da família e de uma multidão / AP

A vasta multidão que se reuniu no Mall nesta clara manhã de inverno foi a maior a participar de uma posse em décadas, ou sempre. Depois, muitas pessoas se alinharam ao longo da Avenida Pensilvânia para a parada presidencial que continuou muito depois da chegada da noite em um dia que não deveria acabar tão cedo para Obama, com sua participação em 10 bailes de posse .

Bush deixou o palco nacional silenciosamente, não fazendo nada para relegar seu sucessor. Depois de receber o casal Obama para um café na Casa Branca e participar da cerimônia no Capitólio, Bush abraçou Obama, e então saiu pela Rotunda a caminho do Texas. "Vamos Laura, vamos para casa", ele disse a sua mulher.

As comemorações incluíram assuntos sérios. Pouco depois de tomar posse, Obama ordenou o congelamento de todas as regulamentações pendentes de Bush para uma revisão legal. Ele também assinou papéis formais de indicação de seu gabinete e o Senado confirmou rapidamente sete de seus indicados: os secretários da segurança doméstica, energia, agricultura, interior, educação e assuntos veteranos, além do diretor de Gerenciamento e Orçamento. 

Quando chegar ao Salão Oval na quarta-feira, segundo seus assistentes, Obama começará a trabalhar em algumas de suas prioridades. Ele planeja reunir sua equipe de segurança nacional e seus comandantes militares para discutir seus planos de retirada do Iraque e de ação no Afeganistão. Ele também planeja assinar as ordens executivas que darão início ao fechamento da prisão militar em Guantánamo, Cuba , e que podem reverter as restrições de Bush ao financiamento para grupos que promovem ou fornecem informações em relação ao aborto.

Atrasos no processo de conformação deixaram o Departamento de Estado e do Tesouro nas mãos de intermediários. Mas Hillary Rodham Clinton deve receber a indicação como secretária de Estado nesta quarta-feira, e o Pentágono permanece sob controle do secretário de Defesa Robert M. Gates, que foi mantido da gestão Bush e não participou da posse para que alguém na linha de poder sobrevivesse no caso de um atentado terrorista.

Em seu discurso, Obama elogiou Bush "por seu serviço à nação bem como pela generosidade e cooperação que demonstrou durante a transição". Mas ele também ofereceu críticas implícitas, condenando o que chamou de "nossa falha coletiva em tomar decisões difíceis e preparar a nação para uma nova era".

Ele também garantiu ao resto do mundo que a mudança chegou. "A todas as outras pessoas e governos que nos acompanham hoje", disse Obama, "das maiores capitais à pequena vila na qual meu pai nasceu, saibam que a América é amiga de toda nação, homem, mulher e criança que busca um futuro de paz e dignidade, e que estamos prontos para voltar a liderar".

Por PETER BAKER

Assista à reportagem sobre a posse de Obama:

Análises

Opinião

Leia também:

Galerias de fotos

Vídeos

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG