Na internet, empresários apostam em legalização da maconha

Após votação sobre a legalização da maconha na Califórnia, nesta terça-feira, vendas de domínios na internet podem crescer

The New York Times |

Faz apenas um ano que Kevin Faler armou um esquema para ficar rapidamente rico com maconha. Não, ele não pretende vender a droga mesmo se os californianos votarem, nesta terça-feira, a favor de uma proposta para tornar o Estado o primeiro do país a legalizar integralmente a o consumo da erva. O que ele pretende é vender domínios na internet que poderão um dia abrigar websites sobre a maconha.

Faler, um ex-policial que já trabalhou no combate a narcóticos, registrou mais de mil nomes de domínio relacionados à maconha, incluindo alguns esquisitos como icecreammarijuana.com e marijuanapastry.com.

The New York Times
Zazzara utilizou mapa da Califórnia para escolher domínios com base em alvos locais
E ele não é o único a apostar no futuro da droga online. Faler faz parte de um grupo de pessoas que disputam por nomes de domínios vinculados à maconha. Eles são chamados de “domainers” e esperam vender os seus domínios a preços elevados por acreditarem que leis mais suaves em relação à cannabis acabarão fazendo com que mais gente recorra à Web para obter os seus produtos, sejam eles sementes, baseados ou receitas que façam uso da maconha.

Onda

Essa onda recebeu um novo impulso com a expectativa da votação da Proposta 19 nesta terça-feira. O projeto de lei da Califórnia legalizaria o uso da maconha para usos recreativos até um limite de cerca de 28,35 gramas. Quatorze Estados americanos já legalizaram a maconha para fins medicinais.

“Os valores dos domínio com nomes vinculados à maconha dispararão quando a Proposta 19 for aprovada”, disse Faler, 49. “Eu espero ganhar dinheiro suficiente para comprar uma casa em um condomínio particular em Marrocos. O lucro pode ser de fato muito grande”.

Faler, que mora 145 quilômetros a sudeste de Los Angeles, em Menifee, deseja entrar no mercado da maconha para animais de estimação, registrando domínios como potfordogs.com e marijuanadogbone.com porque “os cachorros também sofrem de câncer”, disse.

Embora ninguém possa afirmar se tais investimentos irão gerar lucros, a compra e a venda de nomes de domínios na internet pode constituir um negócio lucrativo. A indústria tem um valor estimado de bilhões de dólares.

Estratégias

Os domainers usam várias estratégias ao comprarem nomes de domínio. Enquanto Faler tende a registrar nomes que lhe vêm à mente durante noites de insônia, Jordan Zazzara, de Long Island, prefere usar o método geograficos. Com o auxílio de um mapa da Califórnia, Zazzara, 21 anos, escolheu domínios com base em “alvos locais”, registrando combinações dos nomes das principais cidades do Estado com as palavras marijuana, ganja, bud e cannabis.

Por um valor entre US$ 7 e US$ 10 por domínio, ele registrou 100 que cobrem a distância geográfica entre o beverlyhillsmarijuana.com e o modestocannabis.com.

Nas últimas semanas, a Proposta 19 perdeu a liderança nas pesquisas – uma pesquisa de opinião recente feita pelo Instituto de Políticas Públicas da Califórnia revelou que 49% dos entrevistados são contrários à medida, e 44% favoráveis –, mas ela ainda é apoiada pela maioria dos eleitores jovens e democratas.

Em um golpe aos que apoiam a Proposta 19, o procurador geral Eric H. Holder Jr. anunciou que mesmo se os eleitores aprovarem a medida, as autoridades federais de combate aos entorpecentes pretendem contestar agressivamente as leis de legalização no Estado.

*Por Malia Wollan

    Leia tudo sobre: maconhacalifórniaeualegalização

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG