Na Carolina do Sul, republicanos apostam em comerciais de TV

Campanhas gastam milhões para garantir espaço na programação televisiva antes de sábado, quando Estado realiza primária

The New York Times |

Eles são inevitáveis: locutores com vozes graves falando alto e imagens granuladas de candidatos sorridentes. Mitt Romney é uma máquina corporativa. As políticas de Newt Gingrich são repugnantes e desesperadas.

Qualquer um que esteve perto de uma televisão na Carolina do Sul no último fim de semana foi exposto a uma enxurrada de propaganda política, possivelmente a mais cara e de alta concentração já vista neste Estado, que realiza primárias no sábado.

Saiba mais: Tudo sobre as eleições dos Estados Unidos

NYT
Anúncio de Newt Gingrich critica política de Mitt Romney para o aborto quando era governador de Massachussetts

Com os esforços tradicionais dos candidatos agora multiplicados pela presença dos bem financiados Super Pacs (comitês de arrecadação formados por empresas e sindicatos), agentes lutaram uns com os outros em uma corrida de última hora para comprar a sua cota de espaço televisivo e garantir que suas mensagens não serão abafadas pelas propagandas de seus rivais.

Para anunciar durante o programa "60 Minutes", a campanha de Romney teve que pedir à WLTX, uma emissora local da CBS, para rejeitar o Comitê de Ação Política que apoiava até então. Ele concordou em pagar US$ 3 mil por um comercial de 30 segundos - US$ 100 por segundo, quase o dobro do preço normal.

Os Super Pacs, ansiosos para serem vistos durante o jogo das eliminatórias da NFL no sábado, compraram espaços comerciais reservados semanas atrás, pagando valores elevados para fazer com que anunciantes como Jeep e Ford passassem seus anúncios mais tarde.

"É como uma liquidação", disse Scott Sanders, gerente geral de vendas para a emissora WIS, uma subsidiária da NBC em Columbia, na Carolina do Sul. "Eles estão esperando até as duas últimas semanas para alcançar a todos que puderem. Aquele que falar mais alto e por último, pode ganhar."

Candidatos e Super Pacs gastaram quase US$ 9 milhões em publicidade na televisão americana desde o início de dezembro, segundo dados fornecidos por um estrategista republicano que monitora de perto os gastos com mídia.

Em 2008, o gasto dos cinco candidatos republicanos foi de US$ 6,9 milhões, de acordo com o Grupo de Anállise de Mídia Kantar. Com a adição de três candidatos democratas, a despesa total em 2008 chegou a US $ 13,5 milhões.

Quando somados rádio e televisão a cabo, o gasto total deste ano já se aproxima de US$ 11 milhões.

Por Jeremy W. Peters

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG